Sri Manah-Siksa- Prefácio (parte 01)

Jhulana Yatra
27 de agosto de 2015
Jhulana Yatra com Srila Gurudeva em Mathura!
28 de agosto de 2015

Sri Manah-Siksa- Prefácio (parte 01)

Dandavats Pranamas! Jay Sri Sri Guru e Gauranga! Pela misericórdia sem causa de Srila Gurudeva, é com muita felicidade que anunciamos aos leitores em 27 de agosto de 2015, o início da postagem da tradução da escritura sagrada “Manah-Siksa: Instruções Espirituais para a Mente”, escrita pelo grande santo Vaisnava Srila Raghunatha dasa Gosvami, em homenagem ao seu mestre espiritual Srila Rupa Gosvamipada, na data do seu desaparecimento de acordo com o calendário da India. Essa mais nova edição está disponível em inglês no site Pure Bhakti, contendo os comentários ‘Bhajana-darpana’ de Srila Bhaktivinoda Thakura, e preciosas elucidações expandidas de tais comentários denominadas ‘Sri Bhajana-darpana-digdarsini-vrtti’, por Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja. Esperamos que todos possam usufruir desse livro, que é a joia suprema entre todas as escrituras.

Raghunatha-Dasa-Goswami-4

PREFÁCIO (Parte 01)- Por Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja

Hoje, pela misericórdia sem causa do meu mais adorável mestre espiritual, nitya-lila-pravista om visnupada astottara-sata Sri Srimad Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaja, estamos jubilosos ao presentear os leitores fiéis com esta edição do Sri Manah-siksa, composta por Srila Raghunata Dasa Gosvami, o proeminente seguidor de Srila Rupa Gosvami. O comentário que consta nesta edição chama-se Sri Bhajana-darpana-digdarsini-vrtti (por Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja), que ilumina o significado de cada ponto do comentário conhecido como Bhajana-darpana. A presente obra contém a tradução, junto a estes comentários elucidativos, escrito por Srila Saccidananda Bhaktivinoda Thakura, que foi quem nesta era moderna retomou o fluxo do rio de Bhakti, como o rio Ganges, que havia se tornado praticamente invisível.

Sri Manah-Siksa- escrito por Raghunatha dasa Gosvami, o eterno associado de Sri Caitanya Mahaprabhu, é uma coletânea de onze versos que oferecem instruções espirituais à mente. Esses versos são extraídos do livro conhecido como “Sri Stavavali”, uma compilação de todas as preces e profundas aspirações do autor. De uma forma muito concisa, Sri Dasa Gosvami havia compilado esses onze versos do Manah-Siksa como a quintessência dos ensinamentos de Sri Gaurasundara, a personificação do extasiante prema das formas combinadas de Sri Sri Radha-Krsna, bem como do íntimo associado de Mahaprabhu, Sri Svarupa Damodara, e do acarya da ciência profunda das doçuras devocionais, Srila Rupa Gosvami.

Nas literaturas devocionais da Gaudiya, tais como Sri Brhad-bhagavatamrta, Sri Bhakti Rasamrta-sindhu, os seis Sandarbhas e o Sri Caitanya-caritamrta, a devoção é classificada em três divisões: sadhana-bhakti (prática espiritual), bhava-bhakti (sentimentos espirituais) e prema-bhakti (amor puro). Sadhana-bhakti, devoção no estágio de prática, é dividido em duas partes: vaidhi (devoção baseada nas injunções escriturais) e raganuga (devoção espontânea). Bhava-bhakti que surge de vaidhi-sadhana-bhakti e prema-bhakti que desperta de bhava-bhakti naturalmente são predominadas por aisvarya-jnana, conhecimento da opulência e majestade do Senhor. Mas bhava originado de raghanuga-sadhana-bhakti e prema despertado deste patamar de bhava, é predominado por madhurya, doçura transcendental, sem o menor traço de aisvarya, opulência.

Somente através do amor que é predominado por tal doçura, desprovido de qualquer sentido de formalidade ou reverência, pode-se obter o serviço amoroso aos pés de lótus do jovem eterno  Divino Casal, Vrajendra-nandana Sri Krsna e Vrsabhanu-nandini Srimati Radhika. Amor predominado por temor e veneração proporciona chegar à Vaikunta. Portanto, existe ainda uma sutil, mas significativa diferença entre a qualidade de bhava e prema originada de vaidhi-sadhana-bhakti e raghanuga-sadhana-bhakti. Essa diferença fundamental é a característica distintiva da linha de pensamento dos Sri Gaudiya Vaisnava acaryas, como expressado na afirmação do Sri Caitanya-Caritamrta:

sakala jagate more kare vidhi-bhakti
vidhi-bhaktye vraja-bhava paite nahi sakti
aisvarya-jnanete saba jagata misrita
aisvarya jnane vidhi bhajana kariya
vaikunthake jaya catur-vidha mukti pana

Sri Krsna disse: Em todos os locais do mundo, pessoas me adoram de acordo com as injunções escriturais, mas simplesmente por seguir tais princípios regulativos não se pode obter os sentimentos amorosos dos Meus exaltados devotos de Vraja. Conhecendo a minha suprema majestade, o mundo inteiro me adora em um humor de reverência e veneração. Amor despertado desta reverência não me dá nenhum prazer. Aqueles que me adoram de acordo com as injunções escriturais em um humor onde predomina temor e veneração vão para Vaikunta e obtém os quatro tipos de liberação: sarsthi (opulência como a do Senhor), sarupya (características corpóreas como aquelas do Senhor) samipiya (proximidade do Senhor) e salokya (residência no reino do Senhor).

Profundo apego permeado por espontânea e intensa absorção pelo objeto de sua afeição é chamado raga. Devoção a Krsna saturada por este profundo apego é conhecida como ragatmika-bhakti. Devoção despertada de ragatmika-bhakti é chamada raganuga-bhakti. Avidez para obter o humor dos devotos ragatmika do Senhor é a qualificação exclusiva para raganuga-bhakti. Praticantes de tal raganuga-bhakti devem sempre residir em Vraja. Através do corpo físico e do contemplado corpo espiritual interno que é adequado para prestar serviço a Sri Krsna, pelo qual se aspira avidamente, deve-se sempre se lembrar de Sri Krsna e Suas amadas Gopis de Vraja e constantemente servir Sri Sri Radha Krsna.

Enquanto continuamente reside-se em Vraja, sob a orientação de devotos rasikas (peritos em doçuras transcendentais), que estão profundamente imersos no humor de Vraja, o praticante deve ouvir, cantar e lembrar dos nomes, forma, qualidades e passatempos de Sri Krsna. Este é o método de bhajana para devotos que estão percorrendo o caminho de raganuga-bhakti. De todos os membros da devoção, tais com ouvir e cantar, que foram descritos em relação a vaidhi-bhakti, aqueles que são favoráveis para o desenvolvimento da disposição particular da pessoa, podem também ser aceitos no caminho de raganuga-sadhana.

É essencial saber que, por seguir as instruções que Sri Caitanya Mahaprabhu deu as jivas deste mundo, um forte desejo de seguir o caminho de raganuga certamente despertará no coração do sadhaka. Sri Caitanyadeva pessoalmente praticou, propagou e saboreou somente este bhajana que é realizado no caminho da devoção espontânea (raga-marga). Se por uma grande fortuna as jivas alcançam a associação dos amados associados de Sri Gaurangadeva, então certamente elas desenvolverão avidez pelo humor dos residentes eternos de Vraja. Até receber tal associação, a maioria dos sadhakas adotam o processo de vaidhi-bhakti, que certamente deve ser praticado.

Ao abrigar-se nos pés de lótus de Sri Caitanyadeva, inevitavelmente tal pessoa entrará em raga-marga. Sadhakas que estão avidamente desejosos para entrar em raga-marga devem primeiro praticar o sadhana de raganuga-bhakti. A qualificação que é requirida para raganuga-bhakti é extremamente elevada. Quando avidez verdadeira pelo humor dos eternos residentes de Vraja se desenvolve, tal pessoa perde o gosto pelas distrações deste mundo e liberta-se das atividades pecaminosas e piedosas, ação fruitiva (karma), inação (akarma) ação proibida (vikarma), renúncia não-devocional (vairagya), o cultivo de conhecimento visando a liberação impessoal (jnana), e a atração pela prática de yoga mística.

Em vaidhi-marga, primeiramente desenvolve-se fé (sraddha). Então, adquire-se a associação de devotos (sadhu-sanga). Portanto, ao praticar bhajana, tal pessoa liberta-se dos impedimentos ao avanço espiritual (anarthas). Gradualmente, ela desenvolve resoluta estabilidade (nistha), forte gosto (ruci), firme apego (asakti), e emoção estática (bhava). Através deste sistema, bhava é obtido após longo tempo. Mas quando avidez se desenvolve, todos os anarthas são destruídos muito facilmente por conta da ausência de desejo por desfrute material dos sentidos. Bhava também desperta concomitantemente com esta avidez. Em raga-marga, contudo, é essencial abandonar toda a falsidade, a falácia e desejo por prestígio. Se isso não for feito, os anarthas aumentarão e a pessoa será perigosamente desviada. Nesta situação, apego degradado, raga, será confundido com visuddha-raga, apego puro. Gradualmente, a associação material do sadhaka aumentará e ele cairá.

Aqui, o significado de raganuga-bhakti é rupanuga-bhakti. Sem se tornar rupanuga, um seguidor de Sri Rupa Gosvami, é impossível entrar no caminho de ragatmika-bhakti. Se por alguma grande fortuna desenvolve-se o intenso desejo de entrar no caminho de raganuga-bhakti (devoção espontânea), então certamente deve-se estudar e seguir este Manah-Siksa de Sri Dasa Gosvami, o principal seguidor de Srila Rupa Gosvami.

Aqui, encerra-se a primeira parte do prefácio do livro Manah-Siksa.

Jay Srila Raghunta dasa Gosvami ki! Jay!!!
Jay Srila Rupa Gosvamipada ki! Jay!!!
Gaura Premanande! Haribol!!!

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/