Sri Manah-Siksa (Prefácio- parte 02): A Vida de Raghunatha Dasa

Sri Guru Darsana: Revelação do Divino Mestre
3 de setembro de 2015
O Aparecimento de Krsna
4 de setembro de 2015

Sri Manah-Siksa (Prefácio- parte 02): A Vida de Raghunatha Dasa

Dandavats Pranamas! Jay Sri Sri Guru e Gauranga! Pela misericórdia sem causa de Srila Gurudeva, anunciamos aos leitores o início da tradução da escritura sagrada “Manah-Siksa: Instruções Espirituais para a Mente”, escrita pelo grande santo Vaisnava Srila Raghunatha Dasa Gosvami, no dia 27 de agosto, ocasião do desaparecimento de seu grande mestre, Srila Rupa Gosvami. Estamos na segunda postagem referente ao prefácio. Nossa primeira postagem está no link: http://www.bhaktiyogapura.com/2015/08/sri-manah-siksa-prefacio-parte-01/ Esperamos que todos possam usufruir desse livro, que é a joia suprema entre todas as escrituras. 

Raghunatha-Dasa-Goswami-2

Um Breve Resumo da Vida de Sri Raghunatha Dasa Gosvami

Sri Raghunatha Dasa Gosvami apareceu em uma respeitável e maravilhosa família abastada de fazendeiros, em uma aldeia chamada Krsnapura (Saptagrama) no distrito de Hugali, no oeste da Bengala, em torno do ano de 1494. O nome do Seu pai era Sri Govardhana Majumadara. O irmão mais velho de Sri Govardhana chamava-se Hiranya Majumadara. Embora ambos os irmãos fossem fazendeiros abastados, eram devotadamente religiosos e mantinham imenso respeito e fé pelos sadhus (santos) Vaisnavas. O renomado devoto do Senhor Gaura e acarya do santo nome, Sri Haridasa Thakura, costumava visitar sua corte real. O mestre espiritual deles e pregador real, Sri Yadunandana Acarya, era um íntimo discípulo de Sri Advaita Acarya e amigo próximo de Haridasa Thakura. Yadunandana Acarya foi o mestre espiritual iniciador de Srila Raghunata Dasa.

Em sua infância, Raghunatha Dasa recebeu a associação de devotos puros tais como Sri Haridasa Thakura e Yadunandana Acarya, e em Sua juventude encontrou-se com Sri Nityananda Prabhu e seus associados. Esta influência deixou uma profunda impressão nEle no que diz respeito a devoção imaculada. Sri Raghunatha Dasa muito rapidamente renunciou uma riqueza comparável a de Indra, o rei dos planetas celestiais, e uma esposa que era tão bela quanto uma deusa celestial. Ele foi para Puri-dhama e rendeu-se aos pés de lótus de Sri Caitanya Mahaprabhu, que confiou-O nas mãos daquele que é Seu segundo ser, Sri Svarupa Damodara. A partir deste momento, ficou conhecido como “Svarupera Raghu”, ou o Raghu de Svarupa, e pela misericórdia deste Vaisnava, adquiriu elegibilidade para prestar serviço íntimo a Sri Gaurasundara. Estando muito satisfeito com a inabalável dedicação a seu bhajana e renúncia exemplar, Sri Gaurasundara concedeu-lhe elegibilidade para servir Sri Giridhari na forma de uma Govardhana-sila e Srimati Radhika na forma de uma gunja-mala.

Giriraja: govardana sila de Raghunatha Dasa

Giriraja: govardana sila de Raghunatha Dasa

Após Sri Gaurasundara deixar Seus passatempos manifestos neste mundo, Sri Raghunatha Dasa vivia oprimido com uma agonia de intolerável separação. Ele deixou Puri-dhama e foi para Vrindavana com a intenção de abandonar sua vida ao se jogar do topo da Colina de Sri Govardhana. Lá, no entanto, Sri Rupa e Sanatana convenceram Ele a abrir mão desta ideia, concedendo-lhe o néctar da misericórdia e o doce krsna-katha deles. A partir deste momento, Ele tornou-se o terceiro irmão dos gosvamis, passando a morar definitivamente nas margens do Sri Radha-kunda.

No Radha-kunda, Ele permanecia profundamente imerso em adorar Sri Radha-Govinda no humor de separação, com uma severa e sublime renúncia. Na idade avançada de aproximadamente 100 anos, enquanto realizava bhajana nesse nível, adentrou os passatempos não manifestos do Divino Casal ao entrar no Radha-kunda. Ele é conhecido como Rati Manjari em vraja-lila. No Sri Caitanya Caritamrta (Adi-lila 10.98- 102), Sri Krsnadasa Kaviraja Gosvami descreveu o método  de bhajana de Sri Raghunatha Dasa Gosvami nas seguintes palavras:

anna-jala tyaga kaila anya-kathana
pala dui-tina maṭha karena bhakṣaṇa
sahasra daṇḍavat kare, laya lakṣa nama
dui sahasra vaiṣṇavere nitya paraṇama
ratri-dine radha-kṛṣṇera manasa sevana
prahareka mahaprabhura caritra-kathana
tina sandhya radha-kuṇḍe apatita snana
vraja-vasi vaiṣṇave kare aliṅgana mana
sardha sapta-prahara kare bhaktira sadhane
cari daṇḍa nidra, seha nahe kona-dine

“Quando Sri Raghunatha Dasa Gosvami veio para Vraja, passou a residir no Sri Radha-kunda, sob a ordem de Sri Rupa e Sanatana Gosvamis, e se tornou imerso em bhajana no humor de angustiante separação. Ele praticamente abandonou toda comida e bebida. Todos os dias Ele aceitava apenas um pouco de soro de leite com a finalidade de manter sua vida. Ele nunca falava ou ouvia falas mundanas que não tinham ligação com krsna-katha. Todos os dias era via de regra: Ele oferecia mil reverências prostradas a Sri Nanda-nandana, Srimati Vrsabhanu-nandini, Seus associados eternos, e aos locais de Seus divinos passatempos. Ele também oferecia duas mil reverências a diversos Vaisnavas e cantava cem mil santos nomes. Dia e noite servia Sri Radha Krsna com Sua mente. Ele discutia sobre os passatempos de Sriman Mahaprabhu por três horas, banhava-se no Radha-kunda três vezes ao dia e regularmente abraçava os Vrajavasis Vaisnavas. Ele costumava praticar Bhakti vinte e duas horas e meia em um dia de vinte quatro horas. Portanto, Ele dormia apenas uma hora e meia, e em alguns dias Ele não dormia nada.”

Raghunatha Dasa escreveu três livros que são muito famosos: (1) Sri Stavavali, (2) Sri Dana-carita (Dana-keli-cintamani), e (3) Sri Mukta-carita. Este livro, Sri Manah-Siksa, está incluso no Sri Stavavali, uma compilação de orações e glorificações compostas por Ele.

Aqui, encerra-se a segunda parte do prefácio do livro Sri Manah-Siksa.

Jay Srila Raghunta dasa Gosvami ki! Jay!!!
Jay Srila Rupa Gosvamipada ki! Jay!!!
Gaura Premanande! Haribol!!!

 

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/