Sri Radhastami: O Aparecimento de Srimati Radharani

O Dia do Aparecimento de Srimati Lalita Devi
20 de setembro de 2015
O Dia do Aparecimento de Srila Jiva Gosvami
25 de setembro de 2015

Sri Radhastami: O Aparecimento de Srimati Radharani

Dandavat Pranamas! Em 2017, 29 de agosto, é Radhastami, a celebração do divino aparecimento de Srimati Radharani! Em homenagem a esta data supremamente especial, Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja proferiu dois discursos sobre “As Glórias de Sri Radha”: um na véspera do Radhastami e outro na manhã seguinte, em 27  e 28 de agosto de 2009. Srila Narayana Maharaja falou em sua língua mãe, Hindi, na Sri Kesavaji Gaudiya Matha, Mathura (India). Suas palavras foram traduzidas simultaneamente por Akhilesh Dasa Adhikari para o inglês à platéia, a seguir traduzidas para o português. Todas as glórias a Srimati Radharani!

As Glórias de Sri Radha (parte 1)
Sri Kesavaji Gaudiya Matha- 27 de agosto, 2009

4

Krsna adorou esta mesma Radha, e, portanto, Seu nome tornou-se Radhika!

Certa vez, Sri Krisna estava em Vamsivata, o local da dança da rasa (doçuras transcendentais), mas Ele não estava feliz. Ele queria realizar passatempos amorosos, mas Ele estava completamente sozinho. Srimati Radharani então apareceu do Seu lado esquerdo, e Sankara (Siva), Sri Gopisvara, apareceu do Seu lado direito como guru-tattva. Radha correu para Krsna com imenso prazer! Ra está relacionado a anuragi, que significa “profunda ligação amorosa espiritual”, e dha está relacionado a dhavati, que significa “correr muito rápido, com grande avidez.” Krsna adorou esta mesma Radha, e, portanto, Seu nome tornou-se Radhika!

Quando Krisna apareceu pela primeira vez em Gokula, Narada veio receber o Seu darsana e pensou: “Krisna nunca aparece sozinho. Sua hladini-shakti (potência de prazer) também deve ter nascido.”

Nesse meio tempo, Vrsabhanu Maharaja residia em Raval, onde diariamente banhava-se no rio Yamuna. Certa vez, quinze dias após o nascimento do Senhor Krisna, logo após tomar seu banho, Vrsabhanu Maharaja avistou uma belíssima flor de lótus de mil pétalas no rio Yamuna. No meio desta flor de lótus, havia uma linda menina chupando o dedão e movendo suas mãos e pernas. Ao vê-la, imediatamente pegou-a em seus braços, levando-a para sua esposa Kirtika, e a colocando em seu colo. Muitas pessoas não conhecem Radhika como a filha de Kirtika-devi; Quase todos a conhecem como a querida filha de Vrsabhanu Maharaja!

14

Enquanto ele estava meditando, esta bebezinha manifestou uma forma jovial maravilhosa!

Logo após o aparecimento dessa bebezinha, Narada foi à casa de Vrsabhanu Maharaja e perguntou a ele: “Nasceu alguma criança aqui recentemente?”

Vrsabhanu Maharaja respondeu: “Sim, uma criança chamada Sridama.”

Narada então abençoou Sridama e perguntou: “Nasceu alguma outra criança aqui mais recentemente?”

Vrsabhanu Maharaja respondeu: “Sim, há alguns dias atrás uma linda menina nasceu; Fui abençoado com uma filha!”

Narada perguntou a Vrsabhanu Maharaja: “Posso ver sua filha? Quero fazer o seu mapa e abençoa-la. E descreverei suas qualidades futuras. Por favor, providenciem candana, água do rio Yamuna, e outras parafernálias para que eu possa realizar uma cerimônia com a finalidade de abençoa- la.”

Vrsabhanu Maharaja então foi para dentro de casa, e Narada entrou em transe através de sua meditação. Enquanto ele estava meditando, esta bebezinha manifestou uma forma jovial maravilhosa! Lalita e Visakha também estavam presentes, e Lalita disse a ele: “Por que você está meditando sem parar? Levante-se e ofereça suas reverências. ”

Narada então recebeu um darsana momentâneo de Radhika, mas porque sua sede em vê-la não havia sido saciada, ele foi para o Narada Kunda e realizou austeridades por milhares de anos, sem comer, e continuamente cantando o mantra do nome de Radha em sua japa. Naquela época, Radharani apareceu diante dele, deu-lhe Seu serviço, e ele se tornou Naradiya Gopi. Sabemos desses detalhes através do sastra (escrituras sagradas).

Krsna pessoalmente disse à Ela: "É por Você que Eu vivo em Vraja."

Krsna pessoalmente disse à Ela: “É por Você que Eu vivo em Vraja.”

O Srimad-Bhagavatam afirma: “Ete camsa-kalah pumsah krsnas tu bhagavan svayam – Krisna é Suprema Personalidade de Deus original.” Embora Sri Krisna seja o Senhor Supremo adorado por todos, Ele mesmo adora Sri Radha.

Ao manifestar o Srimad-Bhagavatam, o autor Srila Vyasadeva tinha como meta descrever os passatempos de Sri Krisna e Srimati Radhika, e estabelecer as glórias dela.

Srila Sanatana Gosvami e Srila Visvanatha Cakravarti Thakura afirmam que a rasa-lila, o mais elevado passatempo narrado no Srimad-Bhagavatam, foi realizada para a felicidade de Srimati Radhika. Krsna pessoalmente disse à Ela: “É por Você que Eu vivo em Vraja.”

sata-koti gopi madhava-man
rakhite narilo kori Jatan

(verso 11- Varaja-vipine)

“Milhões de donzelas vaqueirinhas são incapazes de satisfazer a mente de Madhava, embora se esforcem para isso.”
(verso 11)

“O som da flauta clama o nome de Radhika: ‘Venha pra mim, venha Radhe!’ Syama fala bem alto durante a noite.
(verso 12)

“Quando a sri-rasa-mandala se acaba, Ele então sai em busca de Sua amada Radha.
(verso 13)

“Por favor apareça, Oh Radhe! Seja bondosa e salve minha vida!” Clamando bem alto enquanto chorava, Ele perambulava pela floresta.
(verso 14)

“Em um bosque recluso, abraçando Radhika, Hari recupera sua vida e alma, e recebe alívio.” (verso 15)

“Dizendo: ‘Sem Você, onde está a dança da rasa? Apenas por você Eu vivo em Vraja.”
(verso 16)

“Aos pés de lótus desta Radhika, esse Bhaktivinoda se lamenta:
(verso 17)

“Entre os Seus associados pessoais, por favor, me inclua. Fazendo-me Sua serva, mantenha-me como sua posse. ‘”(versículo 18)]

Embora milhões de gopis estivessem também presentes na arena da rasa, elas não podiam atrair a mente de Krsna quando Radhika desapareceu da rasa-lila em maan.

Embora milhões de gopis estivessem também presentes na arena da rasa, elas não podiam atrair a mente de Krsna quando Radhika desapareceu da rasa-lila em maan.

Embora milhões de gopis estivessem também presentes na arena da rasa, elas não podiam atrair a mente de Krsna quando Radhika desapareceu da rasa-lila em maan (raiva ciumenta amorosa transcendental). Radharani desapareceu primeiro da rasa-lila; Krisna não desapareceu  sozinho. Ele deixou a dança da rasa em busca dEla. Muito preocupado e se lamentando: “Radhe Radhe”, Ele finalmente a encontrou.

As outras gopis, que tinham deixado a dança da rasa em busca de Krisna, agora viam duas marcas de pegadas. Uma era a pegada de Krisna, e a outra, menor e mais delicada, pertencia à uma donzela.

Lalita, Visakha, e as outras gopis do grupo de Sri Radha, que vinham procurando por ambos, Radha e Krisna, sabiam que essa segunda pegada pertencia à Srimati Radhika. Muito satisfeitas, elas pensaram: “Oh, Krisna não está sozinho! Ela levou a nossa prana-priya-sakhi (mais querida amiga) com Ele! Ao mesmo tempo, elas estavam tristes, pensando: “Nós não poderemos servi- la  agora, porque não estamos com Ela.”

As outras gopis, aquelas que não estão no grupo de Radha, recitaram este verso:

Radhika é a mais elevada de todas as amadas de Krsna, e a rasa-lila foi realizada a fim de estabelecer Sua superioridade. Essa dança foi realizada apenas para o prazer dela.

Radhika é a mais elevada de todas as amadas de Krsna, e a rasa-lila foi realizada a fim de estabelecer Sua superioridade. Essa dança foi realizada apenas para o prazer dela.

anayaradhito nunam
bhagavan harir isvarah
yan no vihaya govindah
prito yam anayad rahah

“Certamente, esta gopi especial vem adorando de forma perfeita a empoderada Personalidade de Deus, Govinda. Desde que Ele se tornou tão satisfeito com Ela, nos abandonou, e a levou para um local isolado.” (Srimad-Bhagavatam, 10.30.28 )

“Oh, essa garota que está com Krisna é tão afortunada! Krisna a levou, e dessa forma esmagou nosso orgulho (saubhagya-mada)!” As gopis perceberam que tal moça era superior à elas: “Ela certamente serviu Narayana e o satisfez, e devido as bênçãos de Narayana, Krisna levou somente Ela.”

Dessa forma, Radhika é a mais elevada de todas as amadas de Krisna, e a rasa-lila foi realizada a fim de estabelecer Sua superioridade. Essa dança foi realizada apenas para o prazer dela.

Todas as gopis cantaram uma singela canção de separação, e após isso, Krisna apareceu à elas e recitou este verso:

na paraye ‘ham niravadya-samyujam
sva-sadhu-krtyam vibudhayusapi vah
ya mabhajan durjara-geha-srnkhalah
samvrscya tad vaù pratiyatu sadhuna

“Eu não sou capaz de quitar o meu débito com o serviço imaculado de vocês, mesmo em uma vida inteira de Brahma. Nossa ligação está além de qualquer censura. Vocês têm me adorado, cortando todos os laços familiares que são tão difíceis de quebrar. Portanto, por favor, deixem que seus próprios atos gloriosos sejam vossa recompensa.”
(Srimad-Bhagavatam, 10.32.22)

"Eu não sou capaz de quitar meu débito com o serviço imaculado de vocês, mesmo em uma vida inteira de Brahma. Nossa ligação está além de qualquer censura. Vocês vêm me adorando, cortando todos os laços familiares que são tão difíceis de quebrar. Portanto, por favor, deixem que seus próprios atos gloriosos sejam sua própria recompensa."

“Eu não sou capaz de quitar meu débito com o serviço imaculado de vocês, mesmo em uma vida inteira de Brahma. Nossa ligação está além de qualquer censura. Vocês têm me adorado, cortando todos os laços familiares que são tão difíceis de quebrar. Portanto, por favor, deixem que seus próprios atos gloriosos sejam sua própria recompensa.”

“Oh gopis, por minha causa vocês deixaram para trás a timidez, as instruções de seus superiores, e suas vidas como chefes de família, cujo objetivo era mantê-las confinadas. Por sua natureza santa, possam me libertar da Minha dívida convosco.”

Uma das formas pela qual Radhika satisfaz Krisna é entrando em um estado amoroso chamado maan, Seu humor zangado de raiva ciumenta amorosa para com Ele. Às vezes Seu maan não tem qualquer causa externa, e às vezes tem uma causa específica. As gopis vipaksa (rivais), lideradas por Candravali, criticam Radharani, dizendo: “Ela não tem envergonha de fazer maan? Eu não quero ver a face dela.” Por outro lado, Radhika critica Candravali: “Candravali não conhece nada sobre como agradar o amado. Ela não sabe como entrar em maan.” A afeição de Candravali por Krisna é grta-sneha, muito suave. A afeição de Radhika é madhu-sneha, como madhu, mel, que é suave e também a doçe. A afeição de Candravali é comparada ao ghee, que precisa do açúcar para se tornar doce, mas madhu é dulcíssimo por si mesmo.

Estes estágios de amor são tão supremamente elevados, que o próprio Krsna não pode experimentá-los. Por essa razão, a fim de saboreá-los, Krisna aparece em Sri Navadvipa dhama, junto com Seus associados, na forma de Sri Caitanya Mahaprabhu.

Estes estágios de amor são tão supremamente elevados, que o próprio Krsna não pode experimentá-los. Por essa razão, a fim de saboreá-los, Krisna aparece em Sri Navadvipa dhama, junto com Seus associados, na forma de Sri Caitanya Mahaprabhu.

Os estágios do amor de Radhika são: adiruddha, mohan e madan mahabhava. Estes estágios de amor são tão elevados, que o próprio Krisna não pode experimentá-los. Por essa razão, a fim de saboreá-los, Krisna aparece em Sri Navadvipa dhama, junto aos Seus associados, na forma de Sri Caitanya Mahaprabhu. Por esse mesmo propósito, Mahaprabhu foi encontrar-se com Sri Raya Ramananda em Godavari e lhe fez muitas perguntas.

Nos passatempos de Sri Krisna, Raya Ramananda é Visakha-devi,  a gopi amiga de Radharani, que compreende todos os Seus humores. Esta mesma Visakha, na forma de Raya Ramananda, treinou Mahaprabhu para realizar esses humores. Após esse encontro, Mahaprabhu lhe disse: “Eu estou tão satisfeito! Esta é a razão pela qual Eu vim. Meus desejos foram satisfeitos. Por favor, venham para Jagannatha Puri e ajudem-me lá. “

Amanhã de manhã, cantaremos as glórias de Radha e faremos abhiseka (a cerimônia do banho). Nós também ofereceremos puspanjali (flores dos nossos corações), descrevendo suas glórias detalhadamente. Então, sairemos em nagara sankirtana indo às casas dos devotos chefes de família para coletar presentes para Srimati Radhika, como fazemos todos os anos. Depois voltaremos à Matha, com kirtana, e levaremos todos os presentes ao altar. Todos juntos sentaremos e participaremos do kirtana na Matha.

……………………………………………………….

As Glórias de Sri Radha (parte 2)
Sri Radhastami, manhã de 28 de agosto de 2009

Em Raval e Varsana, os moradores comemoraram o Radhastami ontem. Isso porque eles não contemplam profundamente os tithis (períodos de tempo védicos). Eles não consideram se um tithi é puro ou não (como uma data). No sampradaya Vaisnava, no entanto, a consideração dos tithis é muito importante. Nós deliberamos sobre este assunto e, portanto, celebramos o Sri Radhastami neste dia. (Para este dia especial, quando há uma mistura de dois tithis ao nascer do sol, ou o tithi do dia anterior (Saptami) ainda estiver presente, ele é chamado de “impuro”. Nesse caso, observamos Radhastami no dia seguinte).

Radhika apareceu em Raval no rio Yamuna, em uma flor de lótus de mil pétalas.

Radhika apareceu em Raval no rio Yamuna, em uma flor de lótus de mil pétalas.

Ontem à noite eu contei como Radhika apareceu em Raval no rio Yamuna, em uma flor de lótus de mil pétalas. Há dois nascimentos descritos para Ela, e eles estão corretos. Nesta era (yuga) Ela apareceu em Raval e em outra,  apareceu em Varsana.

Mesmo Sri Krsna é incapaz de descrever completamente as qualidades de Srimati Radhika.

devi krsna-mayi prokta
radhika para-devata
sarva-laksmi-mayi sarva-
kantih sammohini para

3

Srimati Radhika é a deusa de todas as deusas.

“A deusa transcendental Srimati Radharani é a contraparte direta do Senhor Sri Krsna. Ela é a figura central de todas as deusas da fortuna. Ela possui toda a capacidade de atrair a Pessoa Divina que é aquele que atrai a todos. Ela é a potência interna original do Senhor.” (Caitanya-Caritamrta, Adi-lila, 4.83)

Srimati Radhika é a deusa de todas as deusas. A palavra krsna-mayi no verso acima mencionado significa que todos os membros de Seu corpo são compostos de mahabhava, o mais elevado amor extático por Krsna.

Ela unge a si mesma com  sneha, ou afeição profunda por Krsna, e também com a afeição por Lalita, Visakha, e Suas outras sakhis.

Srila Raghunatha dasa Gosvami explica em sua poesia como Srimati Radhika se banha:
(Sri Caitanya-caritamrta, Madhya-lila 8,162-167):

O corpo de Srimati Radharani é uma verdadeira transformação de amor por Deus. Ela é a mais querida amiga de Krisna, e isso é sabido em todo o mundo. Esse êxtase supremo de Srimati Radharani é a essência da vida espiritual. Seu único negócio é realizar todos os desejos de Krisna. Srimati Radharani é a mais elevada joia transcendental. E as outras gopis, como Lalita, Visakha e assim por diante, são expansões do seu corpo espiritual. O corpo transcendental de Srimati Radharani irradia seu brilho e é pleno de todas as fragrâncias transcendentais. O amor e afeição do Senhor Krisna por Ela é como uma massagem perfumada!

Srimati Radharani se banha inicialmente na torrente do néctar da compaixão, karunya-amrta; Ela se banha pela segunda vez no néctar da juventude, tarunya-amrta. Após seu banho do meio-dia,  Radharani  recebe mais um banho no néctar do brilho corpóreo, lavanya-amrta. Ela se ornamenta com o traje da timidez, com Seu belo sari de seda preto.

Sri Krsna é a Suprema Pessoa Divina, o Supremo Senhor adorável (deva). Ele não é um semideus; Ele é o mestre de todos os semideuses. Simultaneamente, sua deusa adorável (para-devata) é Sri Radha, no Radha-kunda, especialmente quando Ela está em maan. Krsna se banha no Radha-kunda três vezes. Em profunda meditação, Ele canta: “Radhe Radhe!”, e Ela fica muito feliz!

Krsna se banha no Radha-kunda três vezes. Em profunda meditação, Ele canta: "Radhe Radhe!", e Ela fica muito feliz.

Krsna se banha no Radha-kunda três vezes. Em profunda meditação, Ele canta: “Radhe Radhe!”, e Ela fica muito feliz.

Nós não podemos imaginar as glórias de Radharani. Ela é sarva-laksmi, a soma total de todas as Laksmis, deusas da fortuna:

ananta-koti-visnu-loka-namra-padmajarcite
himadrija-pulomaja-virincaja-vara-prade
apara-siddhi-rddhi-digdha-sat-padanguli-nakhe
kada karisyasiha mam krpa-kataksa-bhajanam

makhesvari! kriyesvari svadhesvari suresvari
triveda-bharatisvari pramana-sasanesvari
ramesvari! ksamesvari pramoda-kananesvari
vrajesvari vrajadhipe sri radhike namo ’stu te

‘Você é adorada por Sri Laksmi, a deusa de milhões dos ilimitados planetas de Vaikuntha. Srimati Parvati, a esposa de Indra, e a deusa Sarasvati,  todas a adoram e recebem Suas bênçãos. Meditar até mesmo em uma das suas unhas dos pés, concede  infinitas variedades de perfeições. Oh Srimati Radhike, quando, oh quando você me concederá  seu misericordioso olhar de soslaio?’
(Sri Radha-Krpa-Kataksa-Stava-Raja, verso 11)

‘Você é a senhora de todos os tipos de sacrifícios (especialmente os mais elevados, para yugala-milana-yajna); de todas as ações (uma vez que você é a origem de todas as potências: mula-sakti-tattva); dos mantras proferidos pelo yajnas (sacrifícios) e das oferendas apresentadas aos semideuses; de todos os semideuses; das palavras dos três Vedas; do cumprimento de todos os princípios das escrituras sagradas; de Sri Rama-devi ( a deusa da fortuna); de Sri Ksamadevi (a deusa do perdão); e, especialmente, dos maravilhosos kunjas em Vrindavana! Quando Você misericordiosamente me fará Sua dasi (serva) e me concederá a qualificação para servir em Seus passatempos amorosos com o príncipe de Vraja? Oh Radhika, rainha  e mantenedora de Vraja, ofereço pranamas a Você repetidas vezes.’
(Sri Radha-Krpa-Kataksa-Stava-Raja, verso 12)
(Canção cantada pelo Senhor Siva à Gauri, Srimati Radhika)

Oh Radhika, rainha e mantenedora de Vraja, ofereço pranamas a Você repetidas vezes.

Oh Radhika, rainha e mantenedora de Vraja, ofereço pranamas a Você repetidas vezes.

Jay Sri Radhastami ki! Jay!!!
Jay Srimati Radharani ki! Jay!!!
Gaura Premanande! Haribol!!!