As Glórias de Śrī Mādhavendra Purī

Pelo Dia do Aparecimento de Sri Sri Radha Raman
21 de maio de 2016
A Chegada de Srila Gurudeva ao Ocidente
23 de maio de 2016

As Glórias de Śrī Mādhavendra Purī

Por favor, aceitem nossas humildes reverências! Todas as glórias a Sri Sri Guru e Gauranga! Neste ano de 2016, 21 de maio, é a data do divino aparecimento de Sri Madhavendra Puripada, um querido associado de Nityananda Prabhu. É com imensa alegria que oferecemos a todos esta belíssima aula dada por Srila Gurudeva Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, em honra a esse dia especial.

SRI MADHAVENDRA PURI ERA INCAPAZ DE ABANDONAR A COMPANHIA DE SRI NITYANANDA PRABHU

Śrī Mādhavendra Purī

Śrī Mādhavendra Purī

Durante a peregrinação de Nityananda Prabhu a todos os locais sagrados na India, com o propósito de purificação, e pela vontade da providência, Ele encontrou Madhavendra Puripada em algum lugar no Oeste da India. Quando Nityananda Prabhu viu Madhavendra Puri, desmaiou em amor extático e Seu corpo transcendental tornou-se completamente imóvel. Da mesma forma, quando Madhavendra Puri contemplava Nityananda Prabhu, esquecia-se completamente e caía ao chão.

Sri Gaurcandra costumava repetidamente ressaltar que, no quesito de saborear as doçuras do amor devocional, não há ninguém que se compare a Madhavendra Puri. Quando os discípulos de Madhavendra Puri, liderados por Isvara Puri, viram seu mestre espiritual e Nityananda Prabhu caídos em desmaio de amor extático, começaram a chorar. Gradualmente, Nityananda Prabhu e Madhavendra Puri voltaram sua consciência externa. Quando seus olhos se abriram e eles novamente se entreolharam, se abraçaram um ao outro e choraram, derramando lágrimas de alegria. Então, começaram a rolar na areia, embalados pelas ondas de amor extático, enquanto ressoava no céu o rugido alto deles. Com um rio de amor que começava a fluir de seus olhos, a Mãe Terra se considerava abençoada ao ser encharcada por essa inundação. Com o aparecimento das transformações produzidas por bhava (sentimentos transcendentais): tremor, lágrimas e pelos arrepiados, podemos entender que seus corpos haviam se tornado local para os passatempos de Caitanya Gosai.

Nityananda exclamava: “Hoje eu recebi o fruto de todas as minhas viagens aos lugares santos. Ao ver os pés de Madhavendra Puri, recebi o tesouro do amor por Deus, e portanto, minha vida tornou-se abençoada.”

Madhavendra Puri continuava a abraçar Nityananda Prabhu com força contra seu peito. Ele queria dizer algo, mas sua voz estava embargada devido ao sabor de emoções intensas. Isvara Puri, Brahmananda Puri e outros discípulos de Sri Puripada que estavam presentes, tornaram-se completamente apaixonados por Nityananda Prabhu. Alguns outros peregrinos estavam naquele lugar, mas devido a serem desprovidos de devoção, eles não conseguiam entender o que estava acontecendo e continuavam a conversar entre si. Os devotos sentiam alguma tristeza ao ver o comportamento daqueles brutamontes, e então foram para a floresta para se verem livres da companhia deles. Quando estavam sozinhos reunidos novamente,  a angústia deles foi dissipada e eles continuaram a saborear as doçuras de Krsna-prema (amor puro por Krsna). Desta forma Nityananda Prabhu e Madhavendra Puri passavam alguns dias juntos, felizes, saboreando Krsna-katha (discussões acerca de tópicos sobre Krsna).

O amor de Madhavendra Puri por Deus era incomum. Simplesmente ao ver uma nuvem de chuva escura, ele caia inconsciente. Dia e noite bebendo do licor de Krsna-prema (amor puro por Krsna), mantinha-se embriagado, às vezes rindo, às vezes chorando, às vezes manifestando uma agitação e gritando. Nityananda também se comportava como um louco, caindo ao chão com seu corpo agitado por ondas de êxtase. Como a lava de um vulcão, gargalhadas irrompiam de sua boca enquanto todo seu corpo, como se estivesse no meio de um grande terremoto, tremia violentamente.

Nunca tendo visto antes tais exposições de emoções extáticas sem precedentes, os discípulos de Madhavendra Puri continuamente permaneciam em hari-kirtana. Ninguém sabia se era dia ou noite. Eles se tornaram completamente absortos nos humores de Krsna-prema. Os dias se passavam, embora parecia-lhes que nem mesmo um momento havia passado ainda. O que quer que fosse discutido entre Madhavendra e Nityananda era conhecido apenas por eles e Sri Krsnacandra. Quem mais seria capaz de entender deste assunto? Madhavendra Puri era incapaz de abandonar Nityananda e assim ele continuava a perambular, mantendo Nityananda com ele.

Madhavendra Puri disse a seus discípulos: ‘Anteriormente, em nenhum lugar, em todas as minhas viagens, lugares santos, eu nunca havia visto tanto amor como este! Eu posso compreender que o Senhor Supremo está sendo misericordioso comigo por ter um amigo como Nityananda sendo meu companheiro íntimo. Sempre que se obtém Sua associação, tal local se torna a soma de todos os lugares santos, não sendo diferente de Vaikuntha. Quem quer que simplesmente ouça sobre Ele, obterá definitivamente a associação de Sri Krsnacandra. E todo aquele que nutre até mesmo a menor inimizade para com Ele, embora possa ser um devoto, não é querido por Krsna.’ Desta forma, dia e noite, Madhavendra glorificava as qualidades atraentes de Nityananda Prabhu.

O Senhor Nityananda respeitava Madhavendra Puri como seu guru e sempre se comportava assim nesse relacionamento. Depois de viajarem juntos por alguns dias, finalmente Nityananda Prabhu seguiu na direção de Setu Bandha enquanto Madhavendra Puri foi para Sarayu. Tendo perdido o contato com o mundo externo, nenhum dos dois tinha consciência de seu próprio corpo. A fim de manter corpo e alma juntos, eles permaneciam, portanto, nesses estados transcendentais de consciência. Se eles estivessem em consciência externa, eles deixariam de viver. [C.B. Adi 9,158-192]

No momento de sua partida deste mundo, Madhavendra Puri estava completamente absorto em separação de Krsna e constantemente repetindo um sloka. Este verso é considerado pelos Gaudiya Vaisnavas a essência da expressão do humor de separação.

ayi dina-dayardra natha he
mathura-natha kadavalokyase
hrdayam tvad-aloka-kataram
dayita bhramyati kim karomy aham

“Oh meu Senhor! Oh mais misericordioso dos mestres! Oh mestre de Mathura! Quando verei você de novo? Por não vê-lo novamente, meu coração agitado tornou-se instável. Oh amado, o que devo fazer agora?
[C.C ML 4.197]

Entre seus companheiros e discípulos, estavam Sri Advaita Acarya, Sri Pundarika Vidyanidhi, Sri Nityananda Prabhu, Sri Isvara Puri, Sri Paramananda Puri, Sri Ranga Puri, Sri Ramachandra Puri, Sri Nrsimha Tirtha, Sri Raghupati Upadhyaya, Sri Sukhananda Puri, entre outros.

“O corpo de Madhavendra Puri está totalmente repleto de amor divino, assim como os de seus seguidores também. Ele não aceita nada além do suco das doçuras do amor por Krsna como seu alimento. Assim, seu corpo se tornou o lugar dos passatempos de Sri Krisna.”
[C.B.Adi 9,155]

Sua Deidade adorável, Gopalji, atualmente reside em Nathdwar no Rajastão, e é adorada pelos seguidores de Vallabhacharya.

Jay Sri Madhavendra Puri ki! Jay!!!