As Glórias de Srila Madhvacarya

Calendário Vaisnava- Outubro 2016
11 de outubro de 2016
As Glórias de Srila Raghunatha dasa Gosvami
13 de outubro de 2016

As Glórias de Srila Madhvacarya

Dandavat Pranamas! Em 2016, 11 de outubro, é a data do divino aparecimento de Srila Madhvacarya, considerado o acarya de nossa sampradaya. Por favor, aceitem esta palestra de Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, dada no dia do seu aparecimento em 13 de Outubro de 2005, Mathura, India.

Sri Madhvacharya

Hoje é o dia do aparecimento de Sri Madhvacarya, que é o acarya de nossa Brahma-Madhva-Gaudiya Vaisnava Sampradaya. Ele apareceu em um lugar chamado Pajaka-ksetra. O nome do seu pai era Madhvagaya, o nome da sua mãe era Vedavidya, e seu nome de infância era Vasudeva. Ele recebeu sannyasi (voto de renúncia) em uma idade muito jovem, e seu nome de sannyasi era Purna-prajna. Seu sannyasi-guru, que seguia a filosofia mayavada do impersonalismo, recebeu o nome de Sri Acyuta-preksa.

Madhavacarya nasceu em Udupi, e sua vida foi bastante surpreendente. Ele era uma encarnação de Hanuman, Bhima, e Vayu – por isso ele era tão forte!

Certa vez, um homem de negócios que estava comercializando gopi-candana (tilaka), teve seu barco preso na lama e não podia seguir em frente. Naquele momento, Srila Madhvacarya estava se banhado no mar, e viu o grande navio cheio de pedaços de gopi-candana. O homem de negócios se aproximou dele pedindo ajuda, e ele sozinho empurrou o barco. Ele era tão forte que o barco começou a se mover, e a ele foi oferecido um grande pedaço de candana de presente, em agradecimento.

Nesse meio tempo, enquanto o barqueiro estava descarregando a candana, esta peça foi quebrada, e uma bela deidade de Krsna se manifestou de seu interior. O nome dessa deidade era Bala-gopala- Dadhi-manthana Gopala. Esta deidade Gopala carrega a vara de Mãe Yasoda para bater iogurte.

Ele ficou muito feliz. Embora a Deidade fosse muito pesada, ele a colocou em seu ombro, e, transportando-a para Udupi, cantou uma canção para Ele, que veio espontaneamente de seu coração. Em outras palavras, enquanto ele caminhava sete milhas para Udupi, ele compôs a canção chamada Dvadasa-stotra (Doze orações). Ele próprio levou a Deidade  até lá, compondo muitos stavas e stutis (hinos e orações) para Gopala e depois de chegar em Udupi, ele instalou Gopal lá.

Srila Madhvacarya escreveu muitos livros, e especialmente importantes são os seus três comentários sobre o Brahma-sutra – Brhad-bhasya e dois Anubhasyas. No Brhad-bhasya, ele deu evidências para a apresentação de sua filosofia  suddha-dvaita-vada. Esta filosofia afirma: O Senhor Sri Krsna, Deus, é o supremo eterno, a suprema entidade viva, o Ser Supremo. A finalidade de toda o sistema de yoga é concentrar a mente neste Ser Supremo. Nós não somos o Ser Supremo. Isso deve ser compreendido. O Ser Supremo é Deus. Isso é suddha-dvaita-vada: dualismo puro. Deus é diferente de mim. Ele é supremo e eu sou subordinado. Ele é vasto, e eu sou pequeno. Ele é infinito e sou infinitesimal.

Em seu comentário, Srila Madhvacarya escreveu sua própria composição na forma de versos em sânscrito, derrotando a concepção impessoal de Sri Sankaracarya.

Todos os Vaisnava sampradaya-acaryas, como Sri Ramanujacarya, Visnusvami e Nimbaditya, contribuíram para derrotar a teoria de Sri Sankaracarya, e Srila Madhvacarya fez isso especialmente com sua filosofia de suddha-dvaita-vada ou bheda-vada (dualismo puro).

Os Srutis (escrituras Védicas) descreveram ambos os princípios: que a alma individual é similar a Deus, e também que a alma é diferente Dele. Na maioria dos casos, no entanto, tem sido dada proeminência para o aspecto da diferença. Em seus escritos, Srila Madhvacarya descreveu cinco diferenças: Há uma eterna diferença entre Deus e a jiva (a entidade viva infinitesimal), Deus e maya (a potência ilusória do Senhor, material); maya e a jiva; jiva e outra jiva; e um aspecto de maya e outro aspecto de maya.

Todas as quatro sampradayas fidedignas são Vaisnava-sampradayas. Isso significa que há semelhança na meta e objeto de adoração deles. Todos eles adoram Visnu-tattva (O Senhor Supremo em Sua manifestação plenária). Os seguidores da Sri Ramanujacarya-sampradaya adoram Sri Laksmi-Narayana, e na sampradaya de Srila Madhvacarya há adoração de Bala-Gopala Krsna.

Srila Madhvacarya estabeleceu quatro principais Mathas (templos). Em cada uma dessas Mathas havia dois sannyasis, então no total eram oito sannyasis. Esses oito sannyasi acaryas praticavam adoração ao Senhor Krsna no humor das gopis, mas essa adoração não foi concedida a população em geral.

Sriman Mahaprabhu viu algumas falhas na concepção de Srila Madhvacarya, e ajustou isso. Sri Kavi Karnapura e Sri Baladeva Vidyabhusana declararam que a nosso Sampradaya-acarya é Srila Madhvacarya. Em nossa sucessão discipular, vemos que Srila Madhavendra Puri recebeu a iniciação de Srila Laksmipati Tirtha na Madhva-sampradaya. Portanto, temos uma ligação com  Sri Madhvacarya, embora estejamos especialmente relacionados com Srila Madhavendra Puri. Sri Advaita Acarya e Sri Nityananda Prabhu estão relacionados com Srila Madhavendra Puri, e Madhavendra Puri está relacionado com Sri Madhvacarya.

Algumas pessoas não aceitam a posição de Sri Madhvacarya – de que ele é o nosso Sampradaya-acarya. Alguns sahajiyas e castas de gosvamis não são capazes de conciliar isso. Eles dizem que Srila Baladeva Vidyabhusana não estava em nossa sampradaya, porque ele estava na Madhva-sampradaya. Mas, na verdade, nossa sampradaya está ligada a Srila Madhvacarya. Srila Bhaktivinoda Thakura afirmou firmemente que, aqueles que não aceitam Srila Baladeva Vidyabhusana ou Srila Madhvacarya não têm relação com bhakti pura. Eles são kali-chela, discípulos da personalidade de Kali Yuga (a era das desavenças e hipocrisia).

Devemos compreender todas essas verdades filosóficas estabelecidas. Só então poderemos entender quem é Srila Madhvacarya, e qual é nossa relação com ele.

Nós somos sannyasis Vaisnava. Nosso nome de sannyasa é “Bhaktivedanta”. Desejo que, especialmente aqueles que estão na ordem de vida renunciada, sannyasis, aprendam e lembrem-se pelo menos alguns dos sutras (aforismos) do Vedanta. Devem lembrar-se, pelo menos, de vinte e cinco sutras, com o significado e explicação. Se vocês se lembrarem de pelo menos dez sutras do Brahma-sutra, do primeiro ao décimo, encontrarão toda a filosofia lá. Nos quatro versos originais do Srimad-Bhagavatam, todo o Srimad-Bhagavatam está presente, e este é também o caso do Brahma-sutra: todos os sutras estão incluídos nos primeiros dez. Vocês certamente devem se lembrar deles, caso contrário, serão derrotados pela filosofia mayavada.

Jay Srila Madhvacarya ki! Jay!
Gaura-Premanande! Hari Haribol!!!