As Glórias de Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja

A Mais Elevada Benção do Senhor Siva
25 de fevereiro de 2017
Eu Cometi Um Erro?
28 de fevereiro de 2017

As Glórias de Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja

Dandavat Pranamas! Jay Sri Sri Guru e Gauranga! Em 2017, 27 de fevereiro, é a data do sagrado desaparecimento de Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja. Em homenagem a este dia, oferecemos esta aula de Tridandisvami Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, retirada do seu livro Sri Navadvipa-dhama.

Srila Jagannatha dasa babaji Maharaja

 

Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja, seu Bhajana-kutira e Samadhi

Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja costumava residir no Surya-kunda em Vraja-mandala onde ele fazia seu bhajana,mas ao final de sua vida mudou-se para Sri Navadvipa-dhama e tinha como hábito cantar alto o maha-mantra. Ele foi reconhecido como o erudito mais proeminente do seu tempo assim como o maior  especialista em saborear as doçuras transcedentais  (rasika) e o mais perfeito Vaisnava em Gauda-mandala, Vraja-mandala e Ksetra-mandala. Portanto, ele é conhecido como vaisnava-sarvabauma, o mais elevado Vaisnava. A pedido de Srila Bhaktivinoda Thakura, esta grande personalidade determinou  Sridhama Mayapura como o local de nascimento  de Sri Caitanya Mahaprabhu. Por sua ordem um grande templo foi construído em Mayapura no local de nascimento de Sri Gaura, onde as deidades de Sri Gaura-Visnupriya-Laksmipriya e Pancha-tattva são até hoje adoradas.

No ano bengali de 1302 (A.D. 1895), dois anos após  Mayapura-dhama ter sido localizada, Sri Jagannatha dasa Babaji Maharaja entrou em seus passatempos não-manifestos. Ele tinha aparecido em uma aldeia em Tangaila, no distrito de Mayamana-sinha ao leste da  Bengala (Bangladesh) e permaneceu neste mundo material por aproximadamente 144 anos. Diz-se que em um ato de grande misericórdia, ele infundiu toda a força do seu bhajana e   conhemcimento das escrituras, culminando em prema-bhakti (devoção amorosa a Deus), no coração de Srila Bhaktivinoda Thakura.

Certa vez, uns  discípulos de Jagannatha dasa Babaji Maharaja queixaram-se com Srila Bhaktivinoda Thakura: “Nós deixamos as nossas casas para aprendermos sobre bhajana com Babaji Maharaja, mas ao invés disso ele está instruindo-nos a servir a Bhagavan cultivando flores e hortaliças. Ele não está nos ensinando como meditar nos oito passatempos diários de Sri Krsna. Por favor, peça-lhe para nos treinar em bhajana. ”

Bhaktivinoda Thakura respondeu: “Cultivar tulasi, flores, frutas e legumes para o serviço da deidade purificará as entidades vivas afligidas por ofensas e desejos no coração opostos a bhakti (anarthas); Caso contrário, não lhes seria possível cantar o nome puro e transcendental. Se pessoas  desqualificadas meditarem nesses passatempos confidenciais, seus anarthas aumentarão substancialmente e gradualmente serão incapazes de realizar bhajana. Nós nos beneficiaremos realizando nosso sadhana de acordo com as instruções de Srila Babaji Maharaja. ”

Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja costumava guardar quaisquer doações que as pessoas lhe davam. Um dia ele ordenou a seus discípulos que comprassem rasa-gulas e outros doces, que fossem oferecidos à deidade e após, distribuidos como prasada às vacas e cachorros do dhama. No entando, Seus discípulos queriam usar o dinheiro para convidar os babajis daquele lugar para uma grande festa. Babaji Maharaja proibiu-os. “É mais benéfico alimentar as vacas e os cães do dhama do que alimentar os chamados Vaisnavas que se vestem externamente como personalidades santas, usando tilaka e contas de tulasi, mas que secretamente se envolvem em atividades ilícitas. Alimentando os animais do dhama a pessoa alcançará bhakti pura.” Assim, todas as rasa-gulas foram dadas às vacas e aos cães.
Em sua idade avançada, as pálpebras de Babaji Maharaja eram tão caidas, que obstruíram sua visão. Havia um cachorro onde morava que tinha seis ou sete filhotes. Quando seus discípulos lhe traziam maha-prasada, ele esperava os cachorros virem até ele, os contava, e então deixava eles comerem em seu prato. Somente depois de terem comido é que ele próprio honrava prasada. Se seus discípulos escondessem os filhotes dele, insatisfeito, não honrava prasada. De forma indignada dizia: “Vocês não entendem que estes são os filhotes do dhama, não são cachorros comuns. Eu não comerei nada até que eles venham aqui e honrem a prasada comigo.” Tal era a fé firme de Babaji Maharaja no dhama.
Seus discípulos costumavam carregá-lo em uma cesta sobre suas cabeças, às vezes para Mayapura, às vezes para Godruma-kunja e algumas vezes para outros lugares. Ao chegar ao lugar de nascimento de Sriman Mahaprabhu em Sridhama Mayapura, ele cantava e dançava, saltando alto no ar.

Jay Srila Jagannatha dasa Babaji Maharaja!