O Dia do Desaparecimento de Sri Baladeva Vidyabhusana

Nirjala Ekadasi e Outros Tópicos
22 de junho de 2018
As Glórias de Srimati Gangamata Gosvamini
22 de junho de 2018

O Dia do Desaparecimento de Sri Baladeva Vidyabhusana

Dandavat Pranamas! Neste ano de 2018, a comemoração do desaparecimento de Sri Baladeva Vidyabhusana é no dia 22 de junho. Por favor, recebam esta cativante e inspiradora palestra, que é sempre atual, proferida por Srila Gurudeva em junho de 1998. 

Por Tridandisvami Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja

Sri Baladeva Vidyabhusana

 

Hoje é o dia do desaparecimento de Sri Baladeva Vidyabhusana – um dos acaryas mais elevados em nossa sucessão discipular. Hoje é também o aniversário de Srimati Gangamata Gosvamini, e é também o dia em que o rio Ganges veio a este mundo. Três eventos sagrados são comemorados neste dia. Na Índia, em todas as nossas Mathas (templos), haverá um grande festival de harikatha para esses líderes proeminentes em devoção a Sri Krsna.

Baladeva Vidyabhusana nasceu em Orissa, perto de Puri, em um lugar chamado Lago Chilka. Ele foi muito brilhante, e em sua infância ele aprendeu toda a vyakarana (gramática sânscrita), bem como os Vedas, Upanisads e todas as outras escrituras. Ele queria especialmente ler e estudar o Vedanta. Ele leu a explicação de Sri Sankaracarya sobre o Vedanta, mas ele não ficou satisfeito e queria estudar mais. Portanto, ele foi para o sul da Índia, para um lugar chamado Udupi, onde estudou todos os comentários sobre o Vedanta, como o Sri-bhasya de Sri Ramanuja, o Parijata-Saurabha-bhasya de Sri Nimbaditya, além do Sariraka-bhasya de Sri Sankaracarya, o Sarvajna-Sukti-bhasya de Sri Visnusvami, o Brhad-bhasya e Anubhasya de Sri Madhvacarya, e o Bhaskara-bhasya de Sri Bhaskara Acarya. Ele se tornou muito erudito, e depois disso retornou à sua terra natal com o desejo de conquistar o mundo inteiro – para libertá-lo de falsas concepções do tattva filosófico.

 

Ele foi até Jagannatha Puri e pensou: “Anteriormente, Sarvabhauma Bhattacarya e muitos outros como ele estiveram aqui, por isso deve haver tantas pessoas instruídas em sua linha. Vou conquistá-los e derrotá-los”. Naquela época havia um devoto Gaudiya-Vaisnava, chamado Radha-Damodara Prabhu, que pertencia a essa linhagem, que veio logo depois de Syamananda Prabhu, Rasikananda Prabhu e Nayananda Prabhu. Radha-Damodara Prabhu era um grande acadêmico. Ele era muito erudito, mas manteve todo o seu conhecimento oculto. Ele era uma pessoa muito simples, sempre cantando e lembrando na linha de Sri Caitanya Mahaprabhu e Srila Rupa Gosvami. Certo dia, Baladeva Vidyabhusana foi derrotá-lo, mas quando ele ouviu todo o seu siddhanta (verdades conclusivas), ele pensou: “Eu sou muito insignificante e não sei nada na frente dele. Eu sou como um bebê, um pequeno bebê”. Ele imediatamente se rendeu aos pés de lótus de Radha-Damodara e recebeu iniciação dele.

 

Depois disso, ele foi para Vrindavana e se abrigou em seu siksa-guru, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura, e se rendeu totalmente a ele. Lá ele leu todos os Seis Sandarbhas de Srila Jiva Gosvami: Tattva-sandarbha, Paramatma-sandharbha, Bhagavat-sandarbha, Krishna-sandarbha, Bhakti-sandarbha e Prtti-sandarbha.

 

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura tinha tomado ksetra-sannyasa. Ksetra-sannyasa significa que o sannyasi vive em Vraja-dhama, Navadvipa-dhama ou Jagannatha Puri-dhama e faz um voto: “Eu não vou deixar este lugar”. Srila Visvanatha Cakravarti Thakura tinha tomado ksetra-sannyasa em Vrndavana-dhama. Ele havia decidido: “Eu nunca sairei de Vrndavana”. Com o passar do tempo, ele chegou na velhice aos cem anos, e naquela época havia alguma discórdia.

 

Alguns dos membros da Ramanuja Sampradaya, que propagavam vaidhi-bhakti e varnasrama dharma, desafiaram: “Como é que pode Srimati Radhika, embora não sendo casada com Krsna, sempre Se senta com Ele? Isso é ilegal”. Essa foi a primeira pergunta. Segunda proposição: “Não há menção do nome Radhika no Srimad-Bhagavatam ou em qualquer outro sastra”. E a terceira assertiva: “Os Gaudiya Vaisnavas não estão inseridos em nenhuma Vaisnava sampradaya. Existem apenas quatro sampradayas: Sri-Laksmi-sampradaya, Brahma-sampradaya, Rudra-sampradaya e Sanaka-sampradaya. Em Kali-yuga existem quatro acaryas proeminentes: Ramanuja na Sri-sampradaya, Madhvacarya na Brahma-sampradaya, Visnusvami na Rudra-sampradaya e Nimbaditya na Sanaka-sampradaya. De onde vieram esses Gaudiya Vaisnavas? Não os aceitamos, eles não têm comentários sobre o Vedanta-sutra, então não podemos aceitar que eles saibam o siddhanta. Não podemos aceitar suas conclusões filosóficas”.

 

O rei de Jaipur pediu a Srila Visvanatha Cakravarti Thakura para vir, mas ele negou o pedido. Ele ordenou que seu discípulo Baladeva Vidyabhusana Prabhu fosse em seu lugar. Baladeva Vidyabhusana Prabhu foi até lá, junto com outro proeminente discípulo de Srila Visvanatha Chakravarti Thakura, e derrotou a todos. Ele citou muitos Puranas, Vedas, Upanisads e o Srimad-Bhagavatam, provando que Srimati Radhika e o Senhor Sri Krsna estão sempre juntos. Radhika é a potência ou o poder de Krsna – Eles não podem ser separados.

 

Srila Baladeva Vidyabhusana citou uma história do Gita-govinda de Srila Jayadeva Gosvami, que mostrou como Radhika era casada com Krsna. Ele também citou a história do Srimad Bhagavatam em que o Senhor Brahma roubou todos os vaqueirinhos e bezerros, e o próprio Krsna tornou-Se duplicatas exatas de todos os meninos. De acordo com o Bhagavatam, naquele ano, Gargacarya anunciou que todos os vaqueiros deveriam dar a mão de suas filhas em casamento, porque era um ano muito auspicioso. Naquele ano, portanto, todas as filhas se casaram com todos os filhos dos vaqueiros. Na verdade, porém, porque todos os jovens pastores de vacas eram o próprio Krsna, todas as meninas foram casadas com Krsna.

Srila Baladeva Vidyabhusana Prabhu mencionou alguns versos do Srimad-Bhagavatam:

anayaradhitonunam
bhagavanharirisvarah
yan no vihayagovindah
prito yam anayadrahah

[“Certamente, essa gopi em particular adorou perfeitamente a todo-poderosa Personalidade de Deus, Govinda, já que Ele estava tão satisfeito com Ela que abandonou o resto de nós e a trouxe para um lugar isolado.” (Srimad-Bhagavatam 10.30.28)]

 

Há tantos versos que confirmam a verdade de Sri Sri Radha e Krsna. Srila Baladeva Vidyabhusana Prabhu citou todos eles, e ele provou que Radhika é o próprio poder de Sri Krsna – para Eles não há necessidade de Se casar. Os seguidores da Ramanuja-sampradaya aceitaram esses argumentos. Eles foram compelidos a aceitar; pois foram derrotados.

 

A grupo oponente então disse: “Vocês não têm uma sampradaya Vaisnava fidedigna”. Baladeva Vidyabhusana provou então que os Gaudiya Vaisnavas estão na linhagem de Sri Madhvacarya. Sri Laksmipati Tirtha, que deu diksa a Sri Nityananda Prabhu, era um discípulo de Sri Madhvacarya. Sri Madhavendra Puripada, o grande mestre espiritual de Sri Caitanya Mahaprabhu, também foi um discípulo deste Laksmipati Tirtha.

 

Os seguidores da Ramanuja-sampradaya desafiaram: “Laksmipati Tirtha era ‘Tirtha’ e Madhavendra Puri era ‘Puri.’ Como pode haver essa diferença?

 

Srila Baladeva Vidyabhusana claramente explicou que não se pode decidir a sucessão discipular de uma pessoa com base em sannyasa. Sri Caitanya Mahaprabhu foi iniciado por Sri Isvara Puripada em Gaya, e no siddhanta Vaisnava seguiu Isvara Puripada. Ele não seguiu Keshava Bharati, que Lhe deu sannyasa. O guru é aquele que inicia por mantra-harinama e diksa-mantra. Sri Isvara Puripada deu a Sri Caitanya Mahaprabhu o gopal-mantra, e Mahaprabhu seguiu a religião Vaisnava de acordo com o humor de Isvara Puripada, na linha de Madhavendra Puripada.

 

Da mesma forma, embora Srila Madhavendra Puri tenha recebido sannyasa de outra pessoa, ele foi iniciado no gopal-mantra por Sri Laksmipati Tirtha. Havia um devoto chefe de família naquela época, que tomou sannyasa de alguém na sampradaya de Sankara, assim como Sri Chaitanya Mahaprabhu o fez. Como Mahaprabhu, ele era Vaisnava, não um mayavadi. Aquele Vaisnava se chamava Visnu Puri, e ele havia sido iniciado na Madhva-sampradaya. Madhavendra Puri tomou sannyasa daquele Puri – de Visnu Puri. Desta forma, Gaudiya Vaisnavas fazem parte da Madhva-sampradaya.

 

Hoje em dia, há um atrito similar em Vrndavana e Navadvipa. Um grupo diz: “Nós, Gaudiya Vaisnavas, não estamos sob nenhuma sampradaya Vaisnava. Somos totalmente independentes. Por que Caitanya Mahaprabhu deveria Se abrigar em qualquer outra sampradaya? Ele é o próprio Krsna”.

 

Esse argumento não está correto. Sri Krsna aceitou Sandipani Muni e o Senhor Ramacandra aceitou Vasistha como Seus Gurus. A tarefa de um sampradaya-guru não é incumbência do Senhor Krishna. Sampradayas são estabelecidas por Suas potências e Seus associados. Laksmi, Brahma, Visnusvami e Nimbaditya todos são Seus associados. Se Krsna fosse o precursor da sampradaya, esta se chamaria Krsna-sampradaya ou Narayana-sampradaya – não Brahma-sampradaya. Os nomes de todas as sampradayas referem-se aos nomes dos devotos: Sri-sampradaya, Brahma-sampradaya, Ramanuja-sampradaya e Madhva-sampradaya.

 

Atualmente, esse grupo diz que os Gaudiya Vaisnavas são uma sampradaya separada e totalmente independente. Mas Srila Bhaktivinoda Thakura, Srila Jiva Gosvami, e antes disso, Srila Gopala-bhatta Gosvami e Sri Kavi-Karnapura, aceitaram a Madhva-sampradaya. Portanto, devemos também aceitar a Madhva-sampradaya, como Sri Baladeva Vidyabhusana escreveu em seus livros.

 

Esse grupo diz que Baladeva Vidyabhusana foi para Udupi, o lugar de Madhvacarya, e que ele aceitou a Madhva-sampradaya. Eles dizem que sua iniciação foi na Madhva-sampradaya. Eles dizem que depois ele ficou na companhia de Srila Visvanatha Cakravarti Thakura, mas ele nunca aceitou o Gaudiya Vaisnavismo, e é por isso que ele disse que os Gaudiya Vaisnavas estão na linha de Madhva.

 

Essa ideia está totalmente errada. Se Baladeva Vidyabhusana não estivesse em nossa linha Gaudiya Vaisnava, como ele poderia ter explicado todos os sandarbhas de Srila Jiva Gosvami? Ele aceitou Sri Caitanya Mahaprabhu como não diferente de Sri Krsna. Todos os seus livros estão em nossa linha – na linha de Srila Visvanatha Cakravarti Thakura. Ele também explicou o Laghu-bhagavatamrta de Srila Rupa Gosvami, bem como todos os livros de Srila Visvanatha Cakravarti Thakura e os outros livros de Srila Rupa Gosvami. Ele era um Rupanuga Vaisnava.

 

Se Srila Baladeva Vidyabhusana não estivesse presente naquela época, nossa identidade Gaudiya Vaisnava teria desaparecido deste mundo. Ele estabeleceu todos os princípios e a filosofia estabelecidos por Caitanya Mahaprabhu. Ele é um verdadeiro Gaudiya Vaisnava.

 

Por cerca de cem anos, Smartas têm levantado essa questão, mas Srila Bhaktivinoda Thakura, Srila Prabhupada Bhaktisiddanta Sarasvati Thakura e todos os outros grandes acaryas derrotaram todos os seus argumentos. Nosso Guru Maharaja escreveu muito corajosamente um livro sobre isso. Eu quero publicá-lo, com tantas notas e explicações. Muito em breve vou publicá-lo. [Este livro foi publicado posteriormente sob o nome Prabandha-Panchakam.]

 

Concluindo, Sri Baladeva Vidyabhusana Prabhu é uma pessoa muito proeminente em nossa linhagem. Há muito mais coisas para contar; mas o tempo vai acabar, então estou terminando aqui.

 

Tradução: Maha Vishnu Prabhu das
Revisão: Indumati devi dasi
Fonte: Pure Bhakti