O Dia do Desaparecimento de Sri Gadadhara Pandita

Calendário Vaisnava – Julho de 2018
5 de julho de 2018
Gundica Mandira Marjana
14 de julho de 2018

Dandavat Pranamas! Todas as glórias a Gaura Gadadhara! Neste ano de 2018, em 12 de julho, é o dia do sagrado desaparecimento de Srila Gadadhara Pandita, associado íntimo de Sri Caitanya Mahaprabhu e a manifestação da própria Srimati Radharani. A seguir, apresentamos uma aula de Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja sobre Suas glórias, proferida no dia 07 de outubro de 2001, em Sri Jagannatha Puri dhama, na Índia.

Durante o mês de outubro em 2001, Srila Gurudeva levou centenas de peregrinos estrangeiros para o parikrama (peregrinação) a vários locais sagrados,  onde foram realizados os passatempos de Sri Caitanya Mahaprabhu, em Jagannatha Puri. No dia 7 de outubro, Ele levou os peregrinos ao parikrama e no templo Tota Gopinatha Mandir. Tota Gopinatha é a Deidade que Sriman Mahaprabhu manifestou, e na qual Sri Caitanya Mahaprabhu adentrou no momento do Seu desaparecimento deste mundo. Aqueles que estavam próximos, na parte externa do templo do lado esquerdo, puderam ver o adorável  jardim onde Mahaprabhu ouvia de Sri Gadadhara Pandita o Srimad-Bhagavatam. Srila Gurudeva falou no templo em Hindi, Bengali e Inglês.

Tota Gopinatha

Gaura-Gadadhara

Gaura-Gadadhara

Não se deve pensar que quando Sri Caitanya Mahaprabhu aceitou o bhava (sentimentos transcendentais) de Srimati Radhika, Ela deixou de existir. Em um teatro, pode-se fazer o papel de alguém que está presente na platéia, porém essa segunda pessoa não se torna inexistente. Alguém pode interpretar Radha e Krsna, mas Radha e Krsna também podem estar presentes, observando. Da mesma forma, quando o Senhor Sri Krsna “aceitou” o bhava de Radhika e tornou-se Sri Caitanya Mahaprabhu, Ela também se fez presente, observando, na forma de Sri Gadadhara Pandita.

Radhika veio na forma de Sri Gadadhara. É de extrema importância conhecer Gadadhara-tattva, as verdades filosóficas estabelecidas sobre Sri Gadadhara Pandita. Não há diferença entre Sri Gadadhara Pandita e Srimati Radhika, mas as atividades são diferentes nos passatempos de Krsna e nos passatempos de Gaura. Em Gaura-lila, Sri Gadadhara Pandita está no humor de um servo.

Nenhuma gopi, incluindo Candravali, Lalita e Visaka, são qualificadas para experimentar o madanakya-mahabhava de Srimati Radhika (seu mais elevado tipo de amor extático). Krsna experimenta os sentimentos amorosos extáticos de rudha e adirudha, mas não madanakhya-mahabhava. Sri Gadadhara Pandita, por outro lado, possui madanakya-mahabhava. Em Gaura-lila, no entanto, este sentimento está disfarçado, para que Gadadhara Pandita possa ajudar Krsna a desempenhar o papel de Srimati Radhika. Na forma de Sri Gadadhara Pandita, Srimati Radhika está olhando e cuidando, para que se houver algo de errado em Krsna (na forma de Mahaprabhu), ela possa corrigir.

Sri Gauranga não é nagara (o amante masculino). Ninguém pode servir a Gauranga pensando ser uma gopi e pensando em Gauranga como Sri Krsna. Todos devem servi-lo em dasya-bhava. Ninguém deve pensar: “Eu sou Lalita, Visakha, ou qualquer outra gopi.” Este equívoco é denominado gauranga-nagari-vada.

É possível para Krsna ser o desfrutador dos humores conjugais, mas não para Mahaprabhu. Ele está sempre no papel de uma gopi, Srimati Radhika. Qualquer pessoa pode servir Mahaprabhu em dasya-rasa (humor de servo), mas não em madhurya-rasa (humor de amante). Neste passatempo, isso seria um absurdo. O Sri Caitanya-caritamrta diz que este vada, gauranga-nagari-vada * [nota], é sahajiya. A escritura Caitanya-bhagavata, e todo o nosso guru-parampara rejeita essa ideia, e Srila Visvanatha Cakravarti Thakura derrotou este argumento.

Sri Gadadhara Pandita (associado íntimo de Sri Caitanya Mahaprabhu) é Srimati Radhika, e, portanto, possui madanakya mahabhava (o mais elevado sentimento de êxtase espiritual). Mas ele quer servir Mahaprabhu, quer satisfazer o desejo de Krsna, e por isso encobre esta madhurya-bhava (humor de amantes). Sri Gadadhara Pandita sabe o que Mahaprabhu deseja: Mahaprabhu quer desempenhar o papel de Srimati Radhika. Desde o começo Ele está no humor de Radha cantando “Krsna prananatha” (meu amado Krsna)!
Deidade de Tota- Gopinatha

Deidade de Tota- Gopinatha

Sri Caitanya Mahaprabhu vinha para o templo de Tota-Gopinatha (em Jaganatha Puri) ouvir o Srimad-Bhagavatam de Sri Gadadhara Pandita, a própria Srimati Radhika, para aprender melhor como desempenhar o papel Dela. Em sua compreensão mais profunda, o Srimad-Bhagavatam de fato desvela as glórias dos humores de Srimati Radhika.

vande nanda-vraja-strinam
pada-renum abhiksnasah
yasam hari-kathodgitam
punati bhuvana-trayam
(Srimad Bhagavatam 10.47.63)

“Eu ofereço repetidamente meus respeitos à poeira dos pés das mulheres que residem na aldeia do vaqueiro Nanda Maharaja. Quando essas gopis cantam bem alto as glórias de Sri Krsna, essa vibração purifica os três mundos“.
Por que Mahaprabhu veio para ouvir Sri Gadadhara Pandita? Desde que Sri Gadadhara Pandita é Srimati Radharani, ele era capaz de explicar os humores Dela descritos no Srimad-Bhagavatam. As explicações de Gadadhara Pandita são as maiores glorificações e elucidações do humor de Radha, sendo mais elevadas do que as de Vyasa, Sukadeva e as do próprio Krsna. Mahaprabhu veio aqui para conhecer as glórias de todas as gopis, especialmente as de Srimati Radharani.

sri-gopya ucuh
aksanvatam phalam idam na param vidamah
sakhyah pasun anuvivesayator vayasyaih
vaktram vrajesa-sutayor anuvenu-justam
yair va nipitam anurakta-Kataksa-moksam
(Venu-gita, verso7)

Gopastami 2

“As gopis começaram a falar entre si: Oh sakhis (amigas)! Nós acreditamos que, para aqueles que têm olhos, não existe nada além do objeto agradável à visão. O sucesso dos olhos encontra-se em contemplar apenas este objeto, e nós não conhecemos nada além Dele. E qual é o objeto mais precioso de apego para os olhos? É a visão dos dois filhos de Nanda Maharaja, Sri Krsna e Baladeva, acompanhado dos gopas (vaqueiros), quando entram na floresta pastoreando Suas vacas, ou quando estão trazendo-as de volta para Vrindavana. Eles mantém Suas flautas em Seus lábios e olham para nós com sorrisos suaves e olhares de soslaio apaixonantes, cheios de amor! Neste momento, nós bebemos a doçura de seus rostos.”
Este verso do Venu-gita, Srimad-Bhagavatam, é falado por Radhika e pelas gopis quando Krsna vai pastorear as vacas. Sri Krsna está atrás e Baladeva está na frente. Krsna está tocando a sua flauta e procurando Srimati Radhika, que vem e rouba Sua flauta, e Ele começa a olhar para Ela com olhares de soslaio. Se a própria Srimati Radhika explicar esse passatempo dizendo, “Meu humor era este ou aquele”, então certamente esta será a melhor explicação.

mrgayur iva kapindram vivyadhe lubdha-dharma
striyam akrta virupam stri-jitah kama-yanam
balim api Balim attvavestayad dhvanksa-vad yas
tad alam dustyajas Asita-sakhyair tat-katharthah
(Srimad Bhagavatam 10.47.17)

“Como um caçador, ele cruelmente atirou flechas no rei dos macacos. Por ter sido conquistado por uma mulher, Ele desfigurou outra mulher que o procurou cheia de desejos amorosos. E, mesmo após utilizar os artefatos de Bali Maharaja, Ele o amarrou com cordas como se ele fosse um corvo. Por isso, deixe-me abandonar toda a amizade com este menino de pele negra, mesmo que não sejamos capazes de parar de falar Dele”.

Este e o verso abaixo foram proferidos por Radhika no Uddhava Kyari, quando Krsna estava residindo em Mathura. Os significados mais profundos destes versos foram revelados a Mahaprabhu por Gadadhara Pandita Prabhu:

yad-anucarita-lila-karna-piyusa-viprut-
sakrd-Adana-vidhuta-dvandva-dharma vinastah
grha-kutumbam sapadi dinam utsrjya dina
bahava iha vihanga bhiksu-caryam Caranti
(Srimad Bhagavatam 10.47.18)

Srimati Radhika

Srimati Radhika

“Ouvir sobre os passatempos que Krsna realiza regularmente, é néctar para os ouvidos. Para aqueles que saboreiam apenas uma única gota deste néctar, a dedicação à dualidade material que possuem é arruinada de imediato. Muitas destas pessoas repentinamente abandonam suas casas e famílias desafortunadas ​​e, eles mesmos se tornam mendicantes, viajando daqui para Vrindavana, vagueando como pássaros, esmolando para manter suas vidas.”

Sri Caitanya Mahaprabhu veio aqui para ouvir, e, quando ouviu, desmaiou. Tanto Ele quanto Sri Gadadhara Pandita desmaiaram. Gadadhara Pandita sabia que Mahaprabhu desempenharia o papel de Srimati Radhika de forma perfeita, por ouvir suas explanações. Srimati Radhika é proeminente na universidade do Srimad-Bhagavatam, em matéria de saborear os significados dessa escritura sagrada.

Haviam três associados confidenciais (e mais uma “metade”) de Sri Caitanya Mahaprabhu no Gambhira.

Por qual razão Sri Gadadhara Pandita não era um deles? Por ele ser superior a esses outros associados confidenciais. Este é um segredo oculto. Se Gadadhara Pandita estivesse lá, o sentimento de separação de Mahaprabhu não teria emergido. Na associação com Srimati Radhika (Gadadhara Pandita), Mahaprabhu teria pensado que era Krsna.

Certavez, após ouvir o Srimad Bhagavatam, Mahaprabhu estava sentado na areia aqui em Cataka Parvata, que ele considerava ser Govardhana. Ele disse a Gadadhara Pandita: “Gadadhara, quero te dar meu bem mais valioso. Você aceitaria?” Quando Gadadhara Pandita aceitou, Mahaprabhu disse: “Esta é a propriedade do meu coração.” Ele começou a remover a areia e disse, no humor de Srimati Radhika: “Meu prana-dhana (amado tesouro da minha vida) está aqui”. Ele mostrou a cabeça e a coroa de Gopinatha, e todos começaram a ajudar a desvelar Sua forma. Mahaprabhu então pediu a Sri Gadadhara Pandita: “Por favor, leve-o com você e sirva-o por toda a sua vida.”

No momento do Seu desaparecimento, Mahaprabhu adentrou a Deidade de Tota-Gopinatha. Mahaprabhu deixou este mundo aos 48 anos, quando Sri Gadadhara Pandita tinha 47. Em profunda separação, Gadhadara Pandita tornou-se rapidamente envelhecido, e logo também desapareceu. Vemos nos passatempos de Krsna que a esposa de Sudama Vipra parecia uma pessoa de idade. Ela era jovem, mas muitíssimo magra como uma idosa, praticamente sem seios e sem forma. Era quase um esqueleto. Do mesmo modo, em seu humor de separação de Mahaprabhu, Sri Gadadhara Pandita também desenvolveu uma aparência similar, e logo desapareceu.

 

MAIS SOBRE SRI GADADHARA PANDITA PRABHU

Por Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja
Darsan em Jagannatha Puri, na Índia, em 13 de outubro de 2001.

Srila Gurudeva: Gadadhara Pandita está sempre servindo a Krsna. Em Krsna-lila (passatempos vivenciados com Krsna), o que Krsna deseja, Srimati Radhika sempre O serve mais do que Candravali, Lalita, Visakha e todas as outras gopis. Todo o seu humor é para satisfazer a Krsna. Em Mahaprabhu-lila (passatempos vividos com Caitanya Mahaprabhu), porque Krsna deseja saborear a Si mesmo, Ele aceita o humor de Radhika, e Ela responde de acordo: ” Se Ele quer isso, eu não irei perturbá-Lo. O Meu serviço é ajudar Krsna nessa tarefa”. Vocês compreendem?

Quando Mahaprabhu estava chamando, “Krsna! Krsna! Ó Prananatha!” Radhika estava lá, mas como um servo obediente. Ela estava em um humor de daksina (submisso). A relação de um dasa (servo) sempre é constituída por um humor submisso. Sri Gadadhara Pandita era ainda mais submisso do que Rukmini. Rukmini às vezes sentia maan (raiva amorosa transcendental ou humor ciumento), mas Sri Gadadhara Pandita não era assim. Se Ele estivesse em um humor de vamya (esquerda ou insubmissão), isso teria sido desfavorável para o humor de Krsna como Mahaprabhu. Gadadhara Pandita sempre pensava: “Eu sou Seu servo.” Se ele tivesse dito a Mahaprabhu: “Meu querido Krsna, meu amado querido”, o humor de Mahaprabhu teria sido perturbado.

Tunga-vidya dasi: Isso foi em Puri. Mas qual era o humor em Navadvipa?

Srila Gurudeva: Em Navadvipa também. Naquele tempo Gauranga também chamava por “Krsna, Krsna”, não “Radha, Radha.” Mas naquele período Ele não havia sido treinado, e não havia sido admitido ainda na escola de Visakha, Sri Svarupa Damodara. Naquele período também, Gadadhara Pandita sempre servia como um servo obediente, encobrindo todos os seus humores como Srimati Radhika.

Tunga-vidya dasi: Mahaprabhu e Gadadhara Pandita estão no mesmo humor em nitya-Navadvipa Dhama também?

Srila Gurudeva: Ele estão no mesmo humor. Gauranga não estava no humor de nagara (Krsna como um amante). Nunca o aceitamos como nagara.

Nota: De uma carta de Srila Bhaktivedanta Svami Prabhupada, de 16 de junho de 1968:
“Um exemplo semelhante é o Senhor Caitanya. Embora Ele seja Krsna, apareceu como um devoto, não como a Suprema Personalidade de Deus. Devemos aceitar o humor do Senhor em aparições particulares e adorá-Lo de acordo com esses humores. Porque o Senhor Caitanya é o próprio Krsna, pode-se adorá-Lo da mesma maneira que Krsna. Mas Krsna estava no papel de desfrutador, e o Senhor Caitanya estava no papel de ser desfrutado. O caminho conhecido como gauranga-nagari é, portanto, considerado desviado do serviço devocional puro. Por conta disso, foi dada ao Senhor Caitanya a mesma facilidade que Krsna, o que Ele não apreciava. Nosso humor de serviço deve ser compatível com a atitude do Senhor. Não significa que devamos sobrepor a atitude de Krsna sobre o Senhor Caitanya, ou do Senhor Caitanya sobre Krsna, ou de Krsna sobre Ramacandra ou de Ramacandra sobre Krsna”.

Jay Sri Gadadhara Pandita ki! Jay!!!

Retirado do site Pure Bhakti