Gopisvara Mahadeva e Templo de Sri Govindadeva

Dhira-samira, Vamsivata e Templo de Sri Govindaji
1 de novembro de 2018
O Dia do Aparecimento do Sri Radha Kunda
1 de novembro de 2018

Dandavats Pranamas! Em 2018, no dia 31 de outubro foram visitados os seguintes locais no Vraja-mandala parikrama: Dhira-samira, Vamsivata, Gopesvara Mahadeva, Brahma-kunda e o Templo de Sri Govindadeva. Nestes locais, Radha Krsna e Seus associados realizaram doces passatempos amorosos. Alguns deles serão descritos aqui, de harikathas proferidos por Srila Gurudeva Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, extraídos do Seu livro Sri Vraja-Mandala Parikrama.

 

Brahma-kuṇḍa

Brahma-kunda

Este kuṇḍa fica um pouco mais para o sudoeste de Jñāna-gudaḍī. Bhagavatī Yogamāyā Paurṇamāsī deu a Mahādeva Śaṅkara a forma de uma gopī mergulhando-o neste kuṇḍa (lago sagrado). Śrī Vṛndā-devī também deu a Nārada a forma de Nāradī Gopī banhando-o aqui, satisfazendo assim o seu desejo de receber o darśana de mahā-rāsa (as doçuras mais elevadas de Radha e Krishna), que é algo muito difícil de conquistar.

 

Gopīśvara Mahādeva

.Gopīśvara Mahādeva

No Śrīmad-Bhāgavatam, Mahādeva Śaṅkara, o deus dos deuses, recebu o título de “o mais elevado vaiṣṇava”. Ele e Bhagavatī Pārvatī estão sempre absortos em meditação sobre os eternos passatempos diários de Kṛṣṇa (aṣṭa-kālīya līlā). Certa vez, durante os passatempos manifestos de Sri Kṛṣṇa, Śaṅkara desejou receber o darsana (visão transcendental) da envolvente rāsa-līlā de Kṛṣṇa com seus próprios olhos. Estando ávido para obter isso, veio diretamente de Kaliasa para Vrndavana . No portão do lado de fora de Vrindavana, algumas gopis atarefadas o impediram, porque nenhum homem, exceto Śrī Kṛṣṇa, pode entrar na rāsa. Mas desde quando Śaṅkara concorda facilmente com alguma coisa? Ele perguntou às gopis como ele poderia ser aceito no grupo, e elas lhe disseram que satisfizesse Bhagavatī Yogamāyā Paurṇamāsī (Pūrṇimā) com sua adoração.

Śaṅkara seguiu seu conselho e após árdua adoração, recebeu o darśana de Yogamāyā. Conhecendo o desejo de Śaṅkara, Pūrṇimā pegou suas mãos e mergulhou-em um local ao próximo Brahma-kuṇḍa. Quando saiu do lago, ele havia se transformado em uma jovem gopī muito bela. Pūrṇimā acomodou Śaṅkara, a nova gopī, dentro de um kuñja próximo ao rāsa-sthalī. Ela disse a ele para contemplar a rāsa-līlā de lá, e então desapareceu.

Dentro de pouco tempo, a rāsa-līlā começou. As gopis pensaram: “Hoje, por alguma razão, não estamos sentindo nenhuma alegria em cantar e dançar”. Elas perceberam que algum estranho havia entrado na arena e começaram a procurar por essa pessoa. Buscando por tal pessoa chegaram a este lugar, onde viram uma nova e desconhecida gopi sentada em um kuñja. Elas questionaram a gopī novata: “Qual é o seu nome? Qual é o nome da sua aldeia? Quem é seu marido? Quem é seu sogro?” Mas a gopī recém-chegada não conseguia responder a nenhuma de suas perguntas. Em vez disso, ela só sabia chorar. Yogamāyā não tinha arranjado seu nascimento no ventre de uma gopī, nem lhe havia lhe dado um nome. A gopī novata também não era casada com nenhuma gopa, então, que respostas poderia dar? Quando as gopis não receberam resposta, começaram a bater em suas bochechas até ficarem inchadas. Vendo a miséria de Mahādeva, o coração de Pūrṇimā se derreteu. Ela foi até lá e explicou que essa gopī era o recipiente de sua misericórdia, e pediu que as gopis e Kṛṣṇa fossem misericordiosas com ela. Sri Kṛṣṇa, conhecendo o desejo interno de Pūrṇimā, deu a Śaṅkara o nome de Gopīśvara e concedeu-lhe a benção de que nenhum sādhaka (praticante espiritual) poderia adentrar Vṛindāvana, especialmente nos doces passatempos de Kṛṣṇa, sem primeiro receber sua misericórdia.

Todas as glórias a Vrindavana-dhama!
Todas as glórias ao Sri Vraja-Mandala Parikrama!