Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja

Srila Bhakti Raksak Sridhara Gosvami Maharaja
9 de junho de 2015
Srila Goura Govinda Swami Maharaja
9 de junho de 2015

Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja

Desenhos-01

Desenhos-02

Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja

Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja

Uma Humilde Carta

A seguinte dedicatória foi manifestada no lançamento do livro “Banho de Amor”, publicado em 1999.

Esta humilde carta é dedicada  a Sua Divina Graça Om Viṣṇupada Sri Srimad Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja

Embora não tenhamos nenhuma qualificação para a ofertar algo ou lembrar de tais personalidades tão exaltadas como Srimad Trivikrama Maharaja, oramos fervorosamente com máxima  sinceridade, porém escassa, para que, por favor aceite essa homenagem em nosso benefício e, assim, conceda-nos bênçãos divinas ilimitadas de um Maha- Bhagavata, sobre nós almas desqualificadas.

(Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaja escreveu a seguinte carta para Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja em resposta:)

Todas as glórias a Sri Sri Guru e Gauranga! 
Aos pés de lótus de Sua Santidade Swami Tridandi Sri Sri Bhaktivedanta Narayana Maharaja.

Reverenciado Maharaja,

Respeitosamente e humildemente, imploro para apresentar o meu sentimento. Sinto-me especialmente afortunado por sua afeição nobre e sincera para comigo, dedicando o estimado livro  “Banho de Amor” em meu nome.

Mas estou muito envergonhado e insatisfeito com a atribuição de títulos nobres a mim, pois não mereço nada. É altamente ofensivo considerar uma pessoa miserável ser um Maha-Bhagavata ou devoto do mais alto nível. Isso não é uma verdade, mas uma grande mentira e exagero.

Assim, a minha fervorosa oração aos pés de lótus de todos os devotos: não me considere tão exaltado como descrito na nota de dedicatórias, mas considere-me como uma alma caída  submetida a escravidão da maya.

Desejando  a bênção da sagrada poeira dos pés de todos os devotos, sou um servo indigno do Divino Mestre e dos devotos.

B. V. Trivikram.
09 de outubro de 1999