As Glorias de Srila Mahesa Pandita e Srila Uddharana Datta Thakura

CALENDÁRIO VAISNAVA-JANEIRO DE 2024
1 de janeiro de 2024
As Glórias de Srila Jiva Gosvami
13 de janeiro de 2024

As Glorias de Srila Mahesa Pandita e Srila Uddharana Datta Thakura

Krishna junto ao seus amiguinhos os gopas nos campos de Vrindavana

Nossas mais humildes reverências aos nossos queridos leitores! Hoje 9 de janeiro de 2024 é um dia especial; é o tirobhāva tithi (dia do desaparecimento) de dois Vraja-gopālas (vaqueirinhos amigode Kṛṣṇa): Śrīla Māheśa Paṇḍita e Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura.Jay Vaisnava Thakura

ORAMOS PELA MISERICÓRDIA DELES

Entre os doze gopālas (dvādaśa-gopālas), Śrīla Māheśa Paṇḍita é Māhabāhu.

Residindo originalmente em Guwahati, ele mais tarde mudou-se para Navadvīpa desejando residir perto do Ganga. Eram três irmãos: Śrīla Hiraṇya Paṇḍita, Śrīla Jagadīśa Paṇḍita e Śrīla Māheśa Paṇḍita. O mais jovem deles era Śrīla Māheśa Paṇḍita, que é  Māhabāhu Sakhā de Vraja e considerado um dos associados de Śrī Nityānanda Prabhu. Ele deixou sua casa e estabeleceu seu śrīpāṭa em Masipura, em Jīrāṭ. Mais tarde, ele se mudou para Beleḍāṅgā, perto de Sukha Sāgara. De lá, mudou-se para Pālpāda (no ano bengali de 1334). Seu samādhi estava originalmente em Pālpāda, e mais tarde mudou para Kāṭhālapurī perto de Chakdāha devido à ameaça de ser submerso pelo Ganga.

Lá, suas Deidades adoráveis, Śrī Gopīnātha, Madana-mohana, Rādhā-Govinda e Śāligrāma-śilā residiam em um quarto. Mais tarde, quando Gauḍīya Maṭha assumiu o serviço às Deidades, Śrīla Prabhupāda também construiu um templo onde o puṣpa samādhi de Śrīla Māheśa Paṇḍita foi colocado na frente.

Quando criança, Śrī Caitanya deva se esforçou para fazer com que todos realizassem kīrtana. Quando Ele apareceu neste mundo, sob o pretexto de um eclipse, Ele envolveu a todos na realização de kīrtana. Quando criança, ao chorar, Ele incentivava todos a realizar kīrtana. Pois quando todos batiam palmas e cantavam Ele parava de chorar. Mas um dia aconteceu que apesar de todos os vizinhos se unirem em kīrtana, Śrī Caitanya deva não parava de chorar. Quando Śrī Caitanya deva não desistia de chorar, Śrī Jagannātha Miśra perguntou-Lhe: “Filho, por que você está chorando? O que poderá fazer você parar?” Ele respondeu: “Hoje Śrīla Hiraṇya Paṇḍita e Śrīla Jagadiśa Paṇḍita prepararam oferendas especiais para Viṣṇu em sua casa [aquele dia foi Ekādaśī tithi]. Se eu conseguir pelo menos uma pequena porção de cada um dessas preparações, vou parar de chorar.”

Inicialmente, Śrī Jagannātha Miśra se perguntou se eles estariam dispostos a dar um pouco das oferendas que haviam sido preparadas para o Senhor Viṣṇu para Śrī Caitanya deva. Ele considerou possível, pois de outra forma a criança não pararia de chorar. Assim, quando Śrī Jagannātha Miśra foi até a casa deles e explicou a situação em casa, Śrīla Jagadiśa Paṇḍita concordou de bom grado: “Pegue tudo. Ele é uma criança tão pequena, mas como Ele sabia que hoje era Ekādaśī? (Ele não tinha nem cinco anos de idade naquela época.) Além disso, como Ele sabia que tantos preparações maravilhosos haviam sido feitas para o Senhor? Certamente Bhagavān reside em Seu coração.” Por isso ofereceu de bom grado tudo o que havia preparado. No momento em que Śrī Caitanya deva comeu todas as oferendas, Ele parou de chorar.

Considerando que Śrī Caitanya deva aceitou comida no dia de Ekādaśī, aqueles que são pākhaṇḍīs consideram este incidente como pramāṇa. Uma vez eu estava ao lado de um indivíduo muito erudito e estabelecido que estava narrando esse passatempo, depois ele se aproximou de mim e, oferecendo reverências, disse: “Bābā, não ouça essas coisas”. Em outras palavras, Śrī Caitanya deva era apenas uma criança, então como Sua ação poderia ser considerada pramāṇa? Este era o ponto.

Śrīla Māheśa Paṇḍita renunciou a sua casa e vagou por diferentes lugares até se estabelecer em Kāṭhālapurī. Então hoje é o tirobhāva tithi de Śrīla Māheśa Paṇḍita, e lá eles ainda celebram um festival.

Naquela época, um grande festival costumava ser realizado em Śrī Caitanya Maṭha, onde nosso irmão espiritual Giri Mahārāja, que estava no comando, administrava os serviços do templo. Havia outra pessoa chamada Kṛṣṇa-Mohana que era professor lá. Ele permaneceu na matha e não se casou; ele ensinava crianças em uma escola a uma estação de distância.

Em 1962, na época em que tivemos nossa matha em Jaśore, o último descendente de Śrīla Jagadiśa Paṇḍita, Viśvanātha Gosvāmī, residia lá. Ele escreveu uma carta a Guru Mahārāja durante o Kumbha-melā dizendo: “Você terá que aceitar o serviço às Deidades”. Guru Mahārāja me perguntou: “O que devemos fazer?” Eu respondi: “Devíamos escrever-lhes uma carta dizendo que decidiremos depois de visitar pessoalmente aquele lugar”. A carta foi redigida por instrução do Guru Mahārāja. Quando chegamos a Calcutá a caminho de Māyāpura, reservamos um tempo para visitar aquele lugar e encontramos o templo em ruínas. Rādhā-rañjana Ghoṣa, que era o presidente do município local, junto com um brāhmaṇa e outra pessoa de herança real, todos os três em idade muito avançada, encontraram-se com Guru Mahārāja e imploraram-lhe que assumisse os serviços do templo assim que possível. Guru Mahārāja então consultou seus irmãos espirituais e eles o encorajaram dizendo: “Você não tem outro serviço em nenhum templo antigo, então é bom aceitá-lo”. Então Guru Mahārāja aceitou o serviço.

Hoje é o tirobhāva tithi de Śrīla Māheśa Paṇḍita e em poucos dias é o tirobhāva tithi de Śrīla Jagadiśa Paṇḍita. Um dia antes, um nagara saṅkīrtana é realizado na cidade de Chakdāha e nos arredores. Também íamos a Kāṭhālapurī para seu śrīpāṭa e participamos do nagara saṅkīrtana um dia antes disso. Anteriormente, quando estávamos em Pālapara, costumávamos ir para lá também.

Além disso, quando Nityānanda Prabhu celebrou o festival ‘Pāṇihāṭi’, Śrīla Māheśa Paṇḍita estava presente. Lá, ele executava muito nṛtya-kīrtana (dança e canto). Tais são as suas glórias!

Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura é Subāhu Sakhā em Vṛndāvana (kṛṣṇa-līlā), um dos doze gopālas (dvādaśa gopālas). Seu local de aparição é Triśbigha, uma cidade em Saptagrāma. O nome de seu pai era Śrīkara e o nome de sua mãe era Bhadrāvatī. Aceitando-os como pais, ele apareceu em uma família de comerciantes de ouro. Por que Mahaprabhu providenciou para que Seus devotos aparecessem em diversas posições? Porque não faz diferença onde ou como um Vaiṣṇava aparece. Alguém está fadado ao inferno se olhar para um Vaiṣṇava de acordo com sua casta. As escrituras dizem que alguém é considerado de natureza infernal ou está destinado a regiões infernais se pensarem que a Deidade no templo é feita de pedra, madeira ou metal, pensar nos vaiṣṇavas como pertencentes a uma casta específica ou considerar o guru como um indivíduo, um homem comum.

arcye viṣṇau śilā-dhīr guruṣu nara-matir vaiṣṇave jāti-buddhir

viṣṇor vā vaiṣṇavānāṁ kali-mala-mathane pāda-tīrthe ‘mbu-buddhiḥ

śrī-viṣṇor nāmni mantre sakala-kaluṣa-he śabda-sāmānya-buddhir

viṣṇau sarveśvareśe tad-itara-sama-dhīr yasya vā nārakī saḥ

(Padma Purana)

“Aquele que pensa que a Deidade no templo é feita de madeira ou pedra, que pensa no mestre espiritual na sucessão discipular como um homem comum, que pensa que o Vaiṣṇava no Acyuta-gotra pertence a uma determinada casta ou credo ou quem pensa em caraṇāmṛta ou água do Ganges como água comum é considerado um residente do inferno.”

Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura ficou com Nityānanda Prabhu embora ele trabalhasse como gerente de um grande zamindār de Naihāṭī, perto de Katwā. As relíquias desta família rica ainda são visíveis não muito longe de Dain Hat. O lugar onde ele residia chamava-se Uddhāraṇpura (fica perto de Katwā). Tive a oportunidade de visitar este local, que fica às margens do Ganges, devido a algumas obras.

[Śrīla Bhakti Vijanana Bharati Mahārāja então descreveu todo o festival Pāṇihāṭi detalhadamente, explicando como Śrīla Raghunātha dāsa Gosvāmī recebeu a misericórdia de Nityānanda Prabhu.

Śrīla Raghunātha dāsa Gosvāmī pediu orientação a Rāghava Paṇḍita (para determinar quanto dakṣiṇā dar a cada pessoa) porque se ele desse a todos igualmente, isso constituiria uma violação da etiqueta. (Assim, Rāghava Paṇḍita fez uma lista da quantia a ser doada a cada devoto). A dakṣiṇā para Nityānanda Prabhu foi dado a Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura, que era o principal servo e tesoureiro de Nityānanda Prabhu.

Por causa de Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura, toda a comunidade de comerciantes de ouro foi libertada,  alcançando a misericórdia de Nityānanda Prabhu. Ele estabeleceu a adoração da forma de seis braços de Mahāprabhu (Ṣaḍbhuja Gaurāṅga) em seu śrīpāṭa e também em Dain Hat. Embora Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura tenha desaparecido da visão mundana, suas Deidades ainda estão manifestas, dando darśana, e estão sendo servidas por seus descendentes.

Tanto Śrīla Māheśa Paṇḍita quanto Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura são Vraja gopālas. Śrīla Māheśa Paṇḍita adorou Śrī Gopīnātha, Madana-mohana, Rādhā-Govinda e Śāligrāma-śilā em seu templo e Seu serviço agora está sendo realizado pelo Gauḍīya Maṭha. E a Deidade adorável de Śrīla Uddhāraṇa Datta Ṭhākura era a Deidade Ṣaḍbhuja Gaurāṅga e ainda é adorada lá. Seu único filho foi Śrīnivāsa. Em seu nome, o lugar Uddhāraṇpura ainda está presente. Lá existe um crematório onde os cadáveres são queimados com carvão. Até então, eu não tinha visto tal coisa em lugar nenhum; Eu vi lá pela primeira vez.

Algumas pessoas vão de Calcutá todos os domingos ao seu śrīpāṭa em Uddhāraṇpura para darśana. Suas Deidades Caitanya-Nityānanda e Caitanya-Gadādhara estão lá. Hoje é seu tirobhāva tithi. Oramos por sua misericórdia. Ele serviu os pés de lótus de Nityānanda Prabhu em todos os aspectos de todo o coração. Embora ocupasse um cargo muito elevado, ele acompanhou Nityānanda Prabhu por toda parte e contribuiu para expandir Sua pregação.

Śrīla Bhakti Vijñāna Bhāratī Gosvāmī Mahārāja em 22 de dezembro de 2011, fonte https://www.visuddhacaitanyavani.com/